SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!

SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!
Enquanto Houver Razões Eu Não Vou Desistir

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Mulher de Moro foi sócia de amigo de Moro acusado de propina e tráfico de influência


Jornal GGN – Após a revelação de que pode ter existido tráfico de influência e possível pagamento de propina em uma negociação de acordo de delação na Lava Jato de Curitiba, o juiz Sergio Moro admitiu à imprensa que sua esposa, Rosangela, teve sim sociedade com o escritório de Carlos Zucolotto, seu “amigo pessoal”. Mas reforçou que a parceria se deu “sem comunhão de trabalho ou de honorários”, numa tentativa de preservar a mulher das denúncias que agora caem sobre os ombros de Zucolotto.

Mas a relação de Rosangela com o escritório de Zucolotto ainda não está muito clara. Principalmente porque, de acordo com uma reportagem do Conjur, há dois anos, Moro deu outra versão sobre essa parceria: ele disse que sua esposa tinha sociedade com Zucolotto visando“apenas a partilha de honorários”, o que não significa, contudo, que eles atuavam nos mesmos processos.

A fala contraditória de Moro está registrada em uma representação contra dois blogueiros que teriam publicado notícias falsas sobre as atividades de Rosangela no escritório de Zucolotto.

Em 2015, surgiram informações dando conta de que a empresa de Zucolotto advogava para empresas como a Helix e a Ingrax. O Jornal i9, um dos processados por Moro, teria associado a Ingrax à Shell e levantado conflito de interesse na atuação da Lava Jato contra a Petrobras.

“Na representação, o juiz garante que sua mulher nunca advogou para essa multinacional, e que a participação dela no escritório Zucolotto Advogados Associados visa apenas a partilha de honorários, não assegurando que ela tenha trabalhado diretamente para todos os clientes da banca”, escreveu o Conjur. (Leia a íntegra aqui).

Rosangela só teria deixado a sociedade em meados de 2016.

Outra informação um tanto quanto inconsistente que consta na nota do juiz à imprensa, em defesa do amigo pessoal, é a de que Zucolotto atua exclusivamente na área trabalhista. O escritório Zucolotto Sociedade e Advogados, porém, afirma em seu site oficial que faz “parcerias” para garantir atendimento aos clientes dentro da área criminal do direito.

https://falandoverdades.com.br/2017/08/29/mulher-de-moro-foi-socia-de-amigo-de-moro-acusado-de-propina-e-trafico-de-influencia/

FONTE: http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/2017/08/mulher-de-moro-foi-socia-de-amigo-de.html

Funaro sobre Temer: dinheiro escondido no exterior

Resultado de imagem para imagens de Lúcio Funaro
Lúcio Funaro - Foto Google
Pessoas próximas ao operador Lúcio Funaro garantem que sua proposta de delação premiada implicará praticamente todos os aliados de Temer no PMDB e apontará o presidente como beneficiário de desvios da Caixa e de dinheiro escondido no exterior.
Temer sempre disse que jamais teve relação com o doleiro. Aliados do peemedebista, hoje em dia, quando questionados sobre o novo delator, rebatem: “Lúcio o quê? Quem?”.
Já os advogados de Lula vão acusar o juiz Sergio Moro de cerceamento de defesa por ele ter negado o pedido para que Rodrigo Tacla Durán fosse ouvido como testemunha do petista.

“Não sou sua nega!”. Tempo esquentou no Congresso


Uma troca de ofensas entre deputados e senadores suspendeu a sessão do Congresso por alguns minutos nesta terça-feira (29).
Deputados invadiram a Mesa Diretora do Congresso e um cordão de policiais legislativos isolou o presidente Eunício Oliveira (PMDB-CE). O tumulto gerou ainda troca de empurrões entre deputados e policiais.
A confusão teve início quando o senador João Alberto (PMDB-MA), que presidia a sessão na ausência de Eunício, não concedeu a palavra a Weverton Rocha (MA), líder do PDT na Câmara.
Weverton, que é adversário político de João Alberto no Maranhão, havia pedido tempo para orientar a bancada de seu partido na votação de vetos presidenciais.
Robson Pires

Rombo do Governo é o pior da história


O déficit primário do governo foi o pior da história tanto para meses de julho quanto para o acumulado do ano.
Dados divulgados pelo Tesouro Nacional, hoje, mostram que as despesas superaram as receitas em R$ 20,1 bilhões no mês passado, o que levou o rombo do ano a R$ 76,2 bilhões.
No acumulado de 12 meses, o déficit é de R$ 183,7 bilhões —ou seja, R$ 24,7 bilhões acima da nova meta fiscal, mais folgada, de R$ 159 bilhões (o objetivo anterior era um rombo de R$ 139 bilhões).

terça-feira, 29 de agosto de 2017

STF autoriza abertura de inquérito contra Serra por caixa 2


Denúncia encaminhada pela PGR contra o tucano tem como base o depoimento de Joesley Batista, que revelou ter acertado pessoalmente com Serra uma contribuição de R$ 20 milhões para a campanha presidencial de 2010, sendo a maior parte com notas fraudulentas 
Por Agência Brasil 
A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber decidiu autorizar abertura de inquérito para investigar o senador José Serra (PSDB-SP) pelo suposto crime eleitoral de caixa 2. O pedido de abertura foi feito pelo procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot, com base nas delações da empresa JBS. A decisão foi assinada no dia 18 deste mês.
De acordo com a PGR, em um dos depoimentos de delação, Joesley afirmou ter “acertado pessoalmente com o senador José Serra” uma contribuição de R$ 20 milhões para a campanha presidencial de 2010, dos quais R$ 13 milhões foram repassados como doação oficial e aproximadamente R$ 7 milhões, via  caixa 2, por meio de notas fiscais fraudulentas.
Em nota divulgada por meio de sua assessoria, Serra afirmou que não houve irregularidades financeiras em sua campanha.
“O senador José Serra reitera que todas as suas campanhas eleitorais foram conduzidas dentro da lei, com as finanças sob responsabilidade do partido. E sem nunca oferecer nenhuma contrapartida por doações eleitorais.”, diz a nota.
Fonte: Revista Fórum

TCU isenta Conselho da Petrobras, presidido por Dilma, de irregularidade na compra de Pasadena


Em tomada de contas especial que investiga a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, em 2006, auditores do TCU (Tribunal de Contas da União) isentam o Conselho de Administração da estatal, à época presidido por Dilma Rousseff, de ter cometido qualquer “ato de gestão irregular” no episódio.

O TCU traça um histórico do que é considerado o pior negócio já fechado na história da estatal. O caso deve ser avaliado pelo plenário da corte nesta quarta.

O tribunal já havia isentado Dilma de responsabilidade no episódio em 2014. De lá para cá, porém, Nestor Cerveró, que conduziu o negócio dentro da estatal, e o ex-senador Delcídio do Amaral fecharam acordos de delação premiada com a Lava Jato e disseram que a ex-presidente chancelou o negócio sabendo de todos os seus problemas.

O relatório dos analistas do TCU e do Ministério Público de Contas contraria a versão dos delatores.

A polêmica começa em 2006, quando a Petrobras  faz o pagamento de US$ 360 milhões por metade da refinaria de Pasadena, adquirida um ano antes pela empresa belga Astra Oil por US$ 42,5 milhões.

Em dezembro de 2007, a Petrobras e a  Astra firmam uma carta de intenções, na qual a estatal brasileira se comprometia a comprar o restante da refinaria por US$ 788 milhões. O documento é assinado por Cerveró, à época diretor da Área Internacional da empresa. Em 2008, o Conselho de Administração negou ter dado aval à ideia, e o caso foi parar na Justiça.

Neste episódio, técnicos do TCU endossam a versão de que, inicialmente, o Conselho de Administração da estatal, presidido por Dilma, recusou a negociação e depois adiou posicionamento sobre o assunto, não tendo deliberado “no mérito” sobre a aquisição dos 50% restantes de Pasadena.

“Note-se que a carta de intenções não era vinculante para a companhia porque o Conselho de Administração não deliberou, no mérito, sobre a aquisição dos 50% remanescentes de Pasadena”, diz o texto dos auditores. “Assim sendo, não há que se falar em responsabilização de seus membros nestes autos”.

A ex-presidente sempre afirmou que a primeira etapa da compra, em 2006, só ocorreu porque o Conselho de Administração não tinha todas as informações a respeito do trato.

Ao relator do caso, o ministro Vital do Rêgo, os analistas do TCU recomendam a responsabilização, entre outros, de Cerveró e do ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli e propõem que ambos sejam inabilitados a ocupar cargo ou função pública por oito anos. Do Painel da Folha.

Fonte> http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br

Os prós e os contras da candidatura de Fátima

Engana-se quem pensa que a senadora Fátima Bezerra (PT) não tem nada a perder sendo candidata ao governo nas eleições do próximo ano. Existem prós e contras nesse projeto.
Para o PT, a candidatura própria com musculatura daria palanque ao seu projeto nacional e significaria o crescimento da sigla no RN, em contraponto ao que ocorre no restante do País.
Já para Fátima, em caso de vitória, assumir o governo pode ser muito pior, politicamente, do que cumprir seus oito anos no Senado, pois ela não tem nenhuma experiência administrativa e receberá o Executivo quebrado.
Robson Pires

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

O POTIGUAR E SINDICALISTA JOSÉ CLAUDIO TAMBÉM SERÁ UM DOS HOMENAGEADOS !


José Cláudio de Oliveira
No dia 22 de setembro no IFRN de Natal o Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN realizará a I NOITE DAS HOMENAGENS, cujo objetivo é o de homenagear líderes sindicais, políticos e artistas culturais, que tanto contribuíram e contribuem para os avanços nas conquistas trabalhistas e culturais, apesar do momento atual do país, mesmo essas pessoas continuam acreditando em um Brasil melhor e para todos e José CLAUDIO de Oliveira  pensa como nós.

PERFIL DE JOSÉ CLAUDIO DE OLIVEIRA

José Claudio, Natural da cidade de Passa e Fica, região do Agreste Potiguar, foi para o Rio de Janeiro moço e já em 1986, ou seja desde cedo começou a trabalhar no comércio e já na adolescência era envolvido com movimentos sociais e sindicais. Foi integrante do Movimento de União Comerciária (MUC) que fazia oposição à gestão antidemocrática e assistencialista de Luisant Mata Roma. “Ele não autorizava que eu e meus companheiros pudéssemos participar da luta de classe”. Hoje, continua como açougueiro do Supermercados Unidos e, enquanto dirigente sindical, quer “resgatar a participação política dos comerciários no combate às opressões patronais”. Nosso conterrâneo e grande sindicalista, José Claudio de Oliveira, também é um parceiro do Centro Potiguar de Cultura – CPC/RN e por tudo isso e por muito mais receberá na noite da homenagens o DIPLOMA DE HONRA AO MÉRITO DO CPC/RN.


MÁRCIO AYER DE LÍDER ESTUDANTIL A LÍDER SINDICAL CARIOCA SERÁ UM DOS HOMENAGEADOS!

 Márcio Ayer e Eduardo Vasconcelos
No dia 22 de setembro no IFRN de Natal o Centro Potiguar de Cultura - CPC/RN realizará a I NOITE DAS HOMENAGENS, cujo objetivo é o de homenagear líderes sindicais, políticos e artistas culturais, que tanto contribuíram e contribuem para os avanços nas conquistas trabalhistas e culturais, apesar do momento atual do país, mesmo essas pessoas continuam acreditando em um Brasil melhor e para todos e Márcio Ayer pensa como nós.

Perfil Márcio Ayer

O presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer Correia Andrade, tem 32 anos, é casado e tem um filho. Filho de comerciários (ela ex-funcionária da extinta Mesbla e ele autônomo, com passagem pelo Ceasa), Márcio começou a trabalhar no comércio informalmente aos 18 anos, em uma empresa de gás em São Gonçalo (RJ), cidade em que nasceu.

Há dez anos Márcio trabalha no comércio do município do Rio de Janeiro. Atuou no ramo de material hospitalar, como auxiliar administrativo, e exerce hoje o mesmo cargo numa loja de material de construção no bairro do Rio Comprido, tendo se licenciado para presidir o Sindicato. Márcio foi motivado a participar dessa luta pelo espírito de mudança que tomou conta da categoria após a expulsão da família Mata Roma e seus amigos da administração do Sindicato. 


Eleito com mais de 80% dos votos, ele reforçou esse sentimento com a combinação entre o entusiasmo de sua juventude com a experiência de “veterano” nas lutas do movimento estudantil, no qual militou por mais de dez anos. Suas principais bandeiras são: democratizar o Sindicato; elevar o protagonismo da entidade no cenário nacional; reaproximar o Sindicato de sua base; resgatar a dignidade dos comerciários; lutar pelos interesses da categoria e buscar na Justiça a devolução de tudo que foi desviado pela fraudulenta gestão anterior.

Bolsonaro quer militarizar escolas brasileiras

Foto: Renato Araújo/ABr
De acordo com o deputado, as escolas militares “passariam a ser exemplares”, pois nelas há “educação moral e cívica, cultua-se o respeito às autoridades, no intervalo não tem maconha, o pessoal corta o cabelo, cobra-se o dever de casa…”.
Da Redação*
As normas de uma escola dirigida pela Polícia Militar goiana seguem o rígido padrão disciplinar de instituições de ensino militarizadas:
Não dobrar short ou camiseta da educação física “para diminuir seu tamanho” nem usar óculos com “lentes ou armações de cores esdrúxulas”.
Meninos: nada de “barba ou bigode por fazer e costeleta fora do padrão”. Meninas: esqueçam o penteado “com mechas caídas”. Tingir o cabelo de “forma extravagante” é proibido para todos.
“Contato físico que denote envolvimento de cunho amoroso (namoro, beijos etc.)” é infração até fora da escola, se o aluno estiver de uniforme.
E, se depender do pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro, podem virar padrão no sistema escolar nacional.
Das 147 mil unidades públicas de ensino básico, cerca de 0,1% estão sob batuta militar. São 13 comandadas pelo Exército (há um projeto para implantar uma em São Paulo) e dezenas nas mãos de PMs estaduais –não há um órgão que centralize esse total, e alguns Estados não possuem o dado consolidado, mas sabe-se que Goiás lidera o ranking, com 36 colégios sob guarda da polícia e mais 18 previstos para 2018.
Bolsonaro diz que, se eleito presidente, multiplicará o modelo, fechando parcerias com as redes municipal e estadual. Reconhece ser impossível cobrir 100% da malha escolar, mesmo porque “faltariam recursos”.
Mas as escolas militares “passariam a ser exemplares”, pois nelas há “educação moral e cívica, cultua-se o respeito às autoridades, no intervalo não tem maconha, o pessoal corta o cabelo, cobra-se o dever de casa…”.
À frente do MEC (Ministério da Educação), em eventual gestão sua, colocaria um general –alguém “que represente autoridade, amor à pátria e respeito à família”, ao contrário de titulares recentes da pasta, diz.
Cita dois petistas: “[Fernando] Haddad? Pai do ‘kit gay’ [projeto para discutir homofobia e sexualidades nas salas de aula]. Aloizio Mercadante manteve a mesma política”.
No começo de agosto, o deputado do PSC-RJ (que deve trocar de legenda para disputar o Palácio do Planalto) distribuiu em suas redes sociais vídeo de “um exemplo de ensino que deveria ser adotado em todas as escolas públicas do Brasil”.
Nove filas de adolescentes de um colégio em Manaus o exaltam em coro: “Convidamos Bolsonaro, salvação desta nação”.
A visita, diz o parlamentar, foi um desagravo aos estudantes, alvos do programa “CQC”, que naquele 2015 fez reportagem crítica sobre a escola onde “no corredor não tem bedel, tem policial, alguns com arma na cintura”.
Antes de passar para o controle da PM, num acordo estabelecido em 2012 com a Secretária de Educação amazonense, a unidade tinha alunos receosos de deixar a mochila na sala para ir ao recreio –colegas poderiam roubá-la. Coibir a violência no ambiente escolar não é a única vantagem que Bolsonaro vê na militarização da educação.
Os índices de aprovação tendem a disparar nesses colégios, que costumam ficar entre os primeiros lugares do Enem.
Tudo isso é verdade, diz Renato Janine Ribeiro, que chefiou o MEC por seis meses na administração Dilma Rousseff. De fato, “existe uma preocupação muito grande” com “uma parcela da juventude muito sem limites”, sobretudo após o caso da professora de Santa Catarina espancada por um aluno. E as escolas militares têm, sim, desempenho melhor no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).
Elas já ganharam simpatia até do senador Cristovam Buarque (PPS-DF). Ao defender a federalização do ensino básico, o também ex-ministro da Educação, no governo Lula, elogiou os colégios militares.
O problema é comparar maçãs e laranjas, afirma Ribeiro. Essas instituições “têm mais recursos”, então é natural que se saiam melhor.
Para o filósofo, “é um erro, numa sociedade democrática, tentar colocar a formação militar, hierárquica e obediente, como ideal para todos os jovens”, inquietos por natureza.
São eles, afinal, o futuro de um “país que sempre cultivou uma certa autoimagem de uma coisa mais alegre, mais solta nos costumes”.
O pelotão de crianças e jovens fardados, diz, “deveria ser exceção, não regra”.
*Com informações da Folha
Foto: Renato Araújo/ABr
Fonte: https://www.revistaforum.com.br/2017/08/27/bolsonaro-quer-militarizar-escolas-brasileiras/

Moro corre em defesa do amigo acusado por delator de tráfico de influência

Foto: Lula Marques / AGPT
O juiz de Curitiba, que montou toda a estratégia da Operação Lava Jato em cima de delações de criminosos confessos, lamenta o crédito dado pela jornalista ao “relato falso de um acusado foragido”.
Da Redação*
O juiz Sérgio Moro respondeu em nota matéria da jornalista Mônica Bergamo publicada na Folha neste domingo (27), onde o advogado trabalhista Carlos Zucolotto Junior, amigo e padrinho de casamento do juiz Sergio Moro, é acusado de intermediar negociações paralelas dele com a força-tarefa da Operação Lava Jato.
De acordo com Moro, o advogado Carlos Zucoloto Jr. é seu amigo pessoal e ele lamenta que o seu nome seja utilizado por um acusado foragido e em uma “matéria jornalística irresponsável para denegrir-me”.
Moro, que montou toda a estratégia da Operação Lava Jato em cima de delações de criminosos confessos, lamenta o crédito dado pela jornalista ao “relato falso de um acusado foragido, tendo ela sido alertada da falsidade por todas as pessoas citadas na matéria”.
Leia outras frases da nota de Moro abaixo:
“O advogado Carlos Zucoloto Jr. é advogado sério e competente, atua na área trabalhista e não atua na área criminal;
O relato de que o advogado em questão teria tratado com o acusado foragido Rodrigo Tacla Duran sobre acordo de colaboração premiada é absolutamente falso;
Nenhum dos membros do Ministério Público Federal da Força Tarefa em Curitiba confirmou qualquer contato do referido advogado sobre o referido assunto ou sobre qualquer outro porque de fato não ocorreu qualquer contato;
Rodrigo Tacla Duran não apresentou à jornalista responsável pela matéria qualquer prova de suas inverídicas afirmações e o seu relato não encontra apoio em nenhuma outra fonte;
Rodrigo Tacla Duran é acusado de lavagem de dinheiro de milhões de dólares e teve a sua prisão preventiva decretada por este julgador, tendo se refugiado na Espanha para fugir da ação da Justiça;
O advogado Carlos Zucoloto Jr. é meu amigo pessoal e lamento que o seu nome seja utilizado por um acusado foragido e em uma matéria jornalística irresponsável para denegrir-me; e
Lamenta-se o crédito dado pela jornalista ao relato falso de um acusado foragido, tendo ela sido alertada da falsidade por todas as pessoas citadas na matéria”.
Foto: Lula Marques / AGPT
Fonte: https://www.revistaforum.com.br/2017/08/27/moro-corre-em-defesa-do-amigo-acusado-por-delator-de-trafico-de-influencia/

Celular é 10 vezes mais sujo do que tampa do vaso sanitário, diz estudo

Resultado de imagem para fotos de celulares
Foto Google
A maior parte das pessoas nem se dá conta, mas acaba usando o celular em todos os locais, do banheiro aos transportes públicos, da mesa à rua. Este pode não ser um bom hábito, de acordo com um estudo publicado no jornal NCBI, que concluiu que os celulares contêm milhares de bactérias. Segundo a revista Time, o grupo de pesquisadores da Universidade de Tartu, na Estônia, analisou os celulares de estudantes do ensino médio e descobriu que estes dispositivos podem abrigar mais de 17 mil cópias de genes bacterianos.
Outro estudo, realizado por cientistas da Universidade do Arizona, revela que os celulares podem ter dez vezes mais bactérias do que uma tampa de sanita, não só porque são limpos com muito menor frequência, como o próprio material pode permitir uma maior sobrevivência destes organismos.
Para evitar possíveis contágios o melhor que pode fazer é lavar as mãos mais vezes e manter o celular longe de locais potencialmente contaminantes – como banheiros, hospitais ou transportes públicos, por exemplo. Pode e deve ainda tentar desinfetar este aparelho pelo menos uma vez por mês, com um tecido de microfibra e uma combinação de 60% água e 40% álcool isopropílico (que não danifica os materiais do aparelho).
Fonte: Robson Pires

Taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo


Apenas na última semana, foram registrados pelo menos cinco casos de mulheres assassinadas por seus companheiros ou ex-companheiros só em São Paulo. Dado alarmante que reflete a realidade do Brasil, país com a quinta maior taxa de feminicídio do mundo.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de assassinatos chega a 4,8 para cada 100 mil mulheres. O Mapa da Violência de 2015 aponta que, entre 1980 e 2013, 106.093 pessoas morreram por sua condição de ser mulher. As mulheres negras são ainda mais violentadas. Apenas entre 2003 e 2013, houve aumento de 54% no registro de mortes, passando de 1.864 para 2.875 nesse período. Muitas vezes, são os próprios familiares (50,3%) ou parceiros/ex-parceiros (33,2%) os que cometem os assassinatos.
Robson Pires

AMES - NOVA CRUZ/RN, 28 DE AGOSTO, 23 ANOS DE LUTAS E CONQUISTAS, MAS HOJE QUASE NADA PRA COMEMORAR!!!

No dia 28 de agosto de 1994 na Escola Municipal PEREIRA MATOS - Nova Cruz-RN, nas a AMES - Associação Municipal de Estudantes, entidade sem fins lucrativos e em defesa dos estudantes, da educação, do movimento estudantil, da cultura, da liberdade de expressão e a todo tipo de discriminação.

No decorrer desses 23 anos foram vários presidentes que aqui passaram. Primeiro seu fundador e idealizador, Eduardo Vasconcelos, ex dirigente da da UMES-NATAL (1987) e da APES (1990/1) e os demais ex presidentes, entre eles na sequência: Antonio Virgílio dos Santos; Edson Neves de Lima; Maria do Socorro Mendonça; Wilton Teixeira da Silva; Aldo Roberto dos Santos; Fernando Luiz dos de Souza (2 mandatos); Ricardo Emergino e Elaine Faustino.

Foram muitas conquistas, entre elas destacamos a Lei do Grêmio Estudantil nas Escolas Municipais, Estaduais e Particulares; a MEIA ENTRADA; RECOMENDAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO PARA O CUMPRIMENTO DA MEIA ENTRADA; MEIA PASSAGEM INTERMUNICIPAL; ELEIÇÕES DIRETAS PARA DIRETORES DE ESCOLAS; Participações em 3 Congressos da UBES (União Nacional dos Estudantes - (1994 a 2008); Participações nos Conselho Municipais de Educação; da Assistência Social e da Saúde, VOTO AOS 16 ANOS, Núcleo da UERN, Campus do IFRN Vestibular dos Cursos a Distância da UFRN (que fazia 4 anos que não tinha vestibular, entre outras.

Além da criação em 2011 da Comissão em Defesa dos Campus da UERN e UFRN, Já!

Mas hoje não temos quase nada para comemorar, pois as conquistas adquerida nos governos Lula e Dilma estão sendo ameaçados pelo atual governo, como o FIES, PROUNI, entre outros.

É preciso uma nova reflexão da estudantada/juventude para avaliar a atual conjuntura e partir para a luta de forma eficaz e consciente, PORTANTO NEM UM DIREITO A MENOS!

A AMES SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA E NOSSA VOZ!

domingo, 27 de agosto de 2017

EDUARDO VASCONCELOS A CONVITE PARTICIPA DO CULTO DE FAMÍLIA

 Novacruzense, Diacólo José Neto, Eduardo e o Tio Cândinho (Pastor)
 Eduardo Vasconcelos e Diacolo José Neto
 Momento de oração, José Joaquim, Presbito Ademir, Pastor Cândido, Presbito Luiz Salvino, Leno e Irmã
 Coral da Mocidade Emanuel da Igreja Assembléia de Ministério do Riachuelo - Jacaré

 Momentos dos Oradores
Pastor Candido representando uma criança

Hoje (27) a noite a convite do Pastor e "Tio Candinho, Eduardo Vasconcelos participou de um lindo Culto da Família, que aconteceu na Assembleia de Ministério do Riachuelo no Jacaré, Rio de Janeiro.

Para Eduardo Vasconcelos foi um momento não só de louvor, mas momento de reflexão da palavra de Deus, de lindos cantos, cantados pelo Coral da Mocidade Emanuel da Igreja Assembleia de Deus, como também momento de representar uma criança, foi muito bonito, disse Eduardo Vasconcelos.

Eduardo agradeceu ao Pastor Candido, que orou em nome de sua família e em seguida Eduardo agradeceu a todos e falou da importância da Igreja na sociedade atual, principalmente onde o povo brasileiro estar descredito com a classe política, sem esperança, precisando muito do amparo de Deus.

Outro momento importante, conta Eduardo o encontro com o ex aluno de Nizia Barbosa, o Diacolo José Neto.

Eduardo prometeu voltar em breve.

Ovacionada por mais de 1600 pessoas, Dilma aponta a Democracia como saída para o país

Com a assertiva de que o golpe que cassou seu mandato e que continua em curso no país  exige uma transição que seja feita por baixo, "uma eleição direta para Presidência da República", a presidenta eleita Dilma Rousseff fez um afiado discurso em palestra concorrida na noite da última quinta-feira, 24, na capital do Rio Grande do Norte.
Com a presenca de mais de 1600 pessoas, entre estudantes, políticos, docentes, petroleiros, juristas, profissionais da mídia e de diversas categorias, lideranças dos movimentos sociais e sindicais e a sociedade civil,  o lotado auditório do hotel Holiday Inn Natal foi o palco do debate das consequências e desafios do pós- golpe para o Brasil e do enfrentanento das ações e propostas do governo de Michel Temer (PMDB), de desmonte das políticas sociais e retirada de direitos trabalhistas e da volta das privatizações.
Ovacionada desde a sua chegada ao auditório, Dilma recebeu homenagens das mulheres presentes ao debate, do cantor Pedrinho Mendes, com as canções  “Linda Baby” e "Senhora", e de crianças, que fizeram a entrega de carta e flores.

A vice-presidente do ADURN-Sindicato, Gilka Pimentel, na apresentação da primeira mulher eleita presidenta do Brasil, ressaltou a dignidade, a coragem e a capacidade de resistência de Dilma. “Nos orgulhamos da sua bravura, do seu coração valente, da sua força e coragem”, afirmou.

Center
O golpe
Dilma iniciou a palestra fazendo uma relação entre o golpe de 1964 e o atual momento. Para ela, o processo que culmina no seu impeachment "tem as mesmas forças históricas que a cada avanço das forças progressistas surgem no cenário e tentam o retrocesso", a diferença está nos métodos e práticas. O golpe de 2016 vem revestido de legalidade, com uso político do parlamento para suspender a ordem legal e politização do judiciário.
Para a presidenta eleita, o golpe vem atender o interesse em retomar o projeto neoliberal, de privatizações de empresas nacionais, entrega do pré-sal, congelamento de investimentos públicos e retirada de direitos trabalhistas, que não teriam o crivo das urnas e é resultado da articulação daqueles que "não assimilaram a quarta derrota consecutiva para o PT”, afirmou.
Golpe de gênero
Absolutamente convicta da presença do componente misógino do golpe, Dilma afirmou ser esse caráter uma sintaxe da narrativa do impeachment. “Eu sempre fui retratada como uma mulher dura, mas se eu fosse homem, seria ‘forte’. Eu também fui retratada como frágil e histérica, mas se fosse homem, seria vista como ‘sensível’”, afirmou.
A grande mídia explorou esta dicotomia, sem se importar se havia alguma consistência, com o claro objetivo de "destruir a imagem de uma pessoa que cumpria um determinado papel na política”. “O que está por trás disso é uma visão conservadora do mundo, em que a igualdade de gênero é desqualificada”, pontuou.
Democracia como caminho
Com a afirmativa de que o golpe que sofreu em 2016 é um processo, a presidenta eleita ressaltou a necessidade de eleições diretas para presidente para pôr fim à sequência de golpes.
Para Dilma, a primeira etapa do golpe foi o impeachment, a segunda ė tirar o Lula da eleição, o condenando, para então concretizar com o parlamentarismo e o distritão.
Finalizou, convocando “as forças democráticas” a seguir resistindo aos retrocessos impostos pelo governo ilegítimo, a lutar por uma “reforma política decente” e dialogar com a sociedade para alertar às pessoas sobre o que está em jogo. “O lado certo da história é o da democracia”, concluiu.
Além da presidente eleita Dilma Rousseff,  participaram do evento o presidente do ADURN-Sindicato e da CTB RN, Wellington Duarte, o diretor presidente do Sindipetro-RN, José Antônio Araújo, a presidente da CUT RN, Eliane Bandeira, representando no ato a FBP, a senadora Fátima Bezerra (PT), que compuseram a mesa diretiva, além do deputado estadual Fernando Mineiro (PT), a deputada estadual Larissa Rosado (PSB), o prefeito e o vice do município de Currais Novos, Odon Júnior (PT) e Anderson Alves (PCdoB), respectivamente, a vereadora natalense Natália Bonavides (PT), a vereadora mossoroense Isolda Dantas (PT).
Veja mais fotos AQUI

Ricardo: “Na política tem muita gente safada e que merece está atrás das grades”

Palocci revela suborno a ex-ministro do STJ - image  on https://paraibaonline.com.br
fotos: Paraibaonline
O governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB) prestigiou a entrega do título de cidadania pessoense ao ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no Ponto de Cem Réis, no centro da Capital, na noite desse sábado (27).
Em defesa de Lula, que é réu na Operação Lava Jato acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, o governador disse que tem muita gente safada na política que merecia está presa, enquanto isso querem prender o ex-presidente sem provas.
Conforme o governador os partidários de Lula não vão aceitar que se melem as eleições antecipadamente, pois é isso querem através de uma perseguição nunca vista antes porque na política tem muita gente safada sim e todo mundo sabe disse.
“Tem muita gente safada e que merece está atrás das grades. Agora não vamos admitir que se passe dois anos no rame-rame falando de um tal de triplex se o único triplex que Lula conhece é a cama uma em cima da outra, que a família tinha para dormir amontoada. Eles não tem uma única prova, enquanto que ladrões estão soltos e ao mesmo os processos não andam”, destacou.
Ricardo destacou as qualidades do ex-presidente que lutou pela concretização da transposição das águas do Rio São Francisco beneficiando mais de 800 mil pessoas somente na Paraíba. Segundo ele, o que se mostraram contra a obra é porque não queriam ver o povo liberto da sede.
Palocci revela suborno a ex-ministro do STJ - image  on https://paraibaonline.com.br
“É isso que está em jogo no país. No Brasil de hoje está em jogo que tipo de democracia se quer. Se é aquela que inclui ou a que exclui o povo e para se ter democracia tem que ter eleição e independentemente de posição política tem que se ter o respeito à história hercúlea e importantíssima de um maior brasileiro e de um melhor presidente que este país já teve, que é Luiz Inácio Lula da Silva”,avaliou.
O governador disse ainda que na verdade estão querendo impedir que Lula disputa as eleições em 2018 para que o povo não tenha uma alternativa popular para derrotar as elites. “É isso que está em jogo para cada um de nós, independentemente de partido, é reconstituir a nação. É olhar para esse governo ilegítimo que hoje faz conta para poder retirar dez reais de um salário mínimo. Olhar para uma elite que não tem compaixão para com o povo”, enfatizou o governador.
Fonte: Da Redação de João Pessoa (Hacéldama Borba)

Lula afirma que se for eleito vai desmanchar todas os atos de Michel Temer

Palocci revela suborno a ex-ministro do STJ - image  on https://paraibaonline.com.br
fotos: Paraibaonline

Fonte: Da Redação de João Pessoa (Hacéldama Borba)
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agora é um cidadão pessoense. Ele recebeu a honraria da Câmara Municipal de João Pessoa na Praça do Ponto de Cem Réis, no centro de João Pessoa, que ficou lotada. Embora o público não fosse o esperado pelos organizadores, Lula foi recepcionando por milhares de militantes que aclamavam pela volta dele à presidência da República nas eleições de 2018.
Esse foi o ponto de partida para que a solenidade de entrega do Titulo de Cidadão pelos vereador Marcos Henrique (PT) e Tibério Limeira (PSB), embora informal, virasse um grande comício. O ex-presidente aproveitou o momento para criticar as ações do presidente Michel Temer (PMDB), a quem acusa de estar acabando com o país e com os trabalhadores brasileiros.
“Ele quer acabar com o Brasil ao vender o patrimônio do país. Já venderam a Casa da Moeda e logo vão privatizar o BNDS, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica. Se não sabem governar desistam e deixem quem sabe, governar com carinho. E eles não estão vendendo para fazer investimentos em nossos jovens, nas universidades, nas pesquisas tecnológicas, mas sim para atender a interesses do mercado, dos grandes empresários e estão fazendo a toque de caixa e muito rápido”, disse.
Palocci revela suborno a ex-ministro do STJ - image  on https://paraibaonline.com.br
Segundo ele, essa rapidez se deve ao fato de Temer está com medo de que o PT volte a presidir o país. “Agora eles vão saber que se um de nós voltarmos, vamos desfazer muita coisa. Eles têm que saber que uma nação não é só construída por esse valores, pois o maior valor de uma nação é qualidade de vida do seu povo. É qualidade da educação, saúde, moradia, transporte e a capacidade das pessoas viverem com dignidade. É por isso que eu resolvi fazer essa caravanas”, afirmou.
O ex-presidente disse que não aguentava ficar somente no seu escritório lendo jornais que não traziam notícias boas, só notícias ruins, que não falam do nordeste por conta de uma cultura imperialista imposta de cima para baixo e o restante do Brasil não é apresentado. “Será que na Paraíba não tem cultura, não tem gente para ser mostrada ao mundo?”, indagou Lula à massa presente.
Palocci revela suborno a ex-ministro do STJ - image  on https://paraibaonline.com.br
Por isso disse não estar mais radical e sim, mais esperto, e que se um dia voltar a governar o Brasil prometeu fazer a regulação dos meios de Comunicação. Contudo, disse que não iria falar mal de nenhuma emissora de TV porque todas elas estavam retransmitindo a sua visita à Paraíb
Durante o discurso, Lula disse que não gostaria também de falar sobre a Operação Lava Jato, mas que era inocente porque os seus processos mostram a inocência nas acusações atribuídas pelo Ministério Público Federal e que só está esperando que o juiz Sérgio Moro apresente alguma prova de culpa. Ele se disse ainda preparado para mais depoimento que terá com o juiz Moro dentro de treze dias.
“Se apresentarem um real indevido na minha conta, algum gesto ilícito meu no governo, eu virei com a mesma honradez que estou aqui onde recebi o título de cidadania pedir desculpas ao povo de João Pessoa porque agora eu sou um cidadão de João Pessoa. Já os tucanos, todos caíram e foram presos. Foi uma revoada só”, afirmou.
Disse ainda que já tem 20 horas de Jornal Nacional contra ele, 63 capas de revistas, e centenas de páginas de jornais e várias outras entrevistas em rádios,” mas até agora nenhum canalha teve a coragem de dizer que tem uma coisa errada na minha vida”, asseverou.

Michel Temer atravessou o espelho


O Paraguai não é Portugal e não há empresários soviéticos na Rússia. Essas trapalhadas de Michel Temer foram apenas lapsos. Lula disse que Napoleão foi à China e que Oswaldo Cruz criou a vacina contra a febre amarela. Eram trapalhadas que embutiam um conhecimento que “Nosso Guia” tentava mostrar, sem ter.
Quando Temer disse que “eu converso com quem eu quiser, na hora que eu achar mais oportuna e onde eu quiser”, ele não cometeu um lapso. Expôs um raciocínio onipotente, autoritário e desajustado. O presidente da República deve ter recato em suas conversas e convém que as registre na sua agenda.
Temer revela um certo desajuste porque, tendo sido gravado por Joesley Batista, numa situação humilhante, foi submetido ao vexame de uma denúncia por corrupção passiva e escapou porque recorreu ao que se poderia chamar de persuasão ativa.
Com os colaboradores que tem e as amizades que cultiva, se Temer persistir nessa retórica de delegado da madrugada, acabará mal.
Fonte: Robson Pires

Incerteza inédita ronda eleições a um ano da campanha na televisão

Resultado de imagem para imagens das eleições de 2018
Foto Google
Da Folha de São Paulo
A um ano do início da campanha à Presidência no rádio e na TV, que começa em 26 de agosto de 2018, o cenário eleitoral está indefinido, sem clareza de quem serão os candidatos das principais forças. O enfraquecimento da polarização entre PT e PSDB, com ambos os partidos desgastados com a Operação Lava Jato, produz uma proliferação de nomes que poderão disputar o Planalto.
Entre os tucanos, o senador Aécio Neves (MG), ao apoiar o impeachment de Dilma Rousseff (PT), seria o herdeiro natural da recuperação econômica que se esperava com a posse de Temer. Atingido pela Lava Jato, abriu espaço para o governador paulista, Geraldo Alckmin, pleitear a candidatura.
O desgaste da classe política tradicional, contudo, vem servindo de palanque para o prefeito paulistano, João Doria, apresentar-se como representante do “novo”. A disputa velada entre o governador e o prefeito reorganiza forças dentro do PSDB e mesmo fora, com sondagens do Democratas e do PMDB a Doria. Um líder tucano admite que a polarização entre PSDB e PT se esgarçou, pelo menos no retrato instantâneo. Pode vir a se reorganizar em eventual segundo turno, ele afirma, mas talvez não dite a campanha desde o primeiro.