SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!

SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!
Enquanto Houver Razões Eu Não Vou Desistir

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Brasil é exemplo no combate à desigualdade social

"BRASIL É UM DOS POUCOS PAÍSES NO MUNDO QUE DIMINUÍRAM AS DIFERENÇAS SOCIAIS. PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA ESTÁ SENDO ADOTADO POR OUTRAS NAÇÕES, DIZ DIRETOR DA OXFAM – ORGANIZAÇÃO QUE DESENVOLVE PROGRAMAS DE COMBATE À POBREZA NO PLANETA

PEDRO PEDUZZI, AGÊNCIA BRASIL

Enquanto a desigualdade entre ricos e pobres tem sido ampliada na maior parte do planeta, no Brasil tem ocorrido o oposto, apesar de o país continuar entre os mais desiguais do mundo.

É o que aponta o relatório “Equilibre o Jogo: É Hora de Acabar com a Desigualdade Extrema”, divulgado hoje (29) pela Oxfam – organização não governamental que desenvolve campanhas e programas de combate à pobreza em todo o mundo.

“O Brasil tem apresentado um padrão diferenciado, e está entre os poucos países que estão tendo sucesso em diminuir a diferença entre os mais ricos e os mais pobres”, disse o diretor da Oxfam no Brasil, Simon Ticehurst, à Agência Brasil.

Ele acrescentou que, entre os Brics [bloco que agrega também Rússia, Índia, China e África do Sul], “o Brasil é o único que está conseguindo reduzir a desigualdade. E, dentro do G20, é o que está tendo maior sucesso nessa empreitada, ao lado do México e da Coreia do Sul, que, apesar dos avanços, figuram em um patamar inferior ao do Brasil [no que se refere a diminuição das desigualdades]”.

De acordo com ele, entre os fatores que colocam o país nessa situação estão os programas de transferência de renda como o Bolsa Família, iniciativa que, inclusive, tem sido adotada por outros países, lembra ele.

Além disso, ao promover “aumento constante e um pouco acima da inflação” do salário mínimo, o Brasil protege os setores mais baixos da economia.
O salário mínimo nacinal cresceu quase 50% em termos reais, entre 1995 e 2011, e contribuiu para declínio paralelo das situações de pobreza e desigualdade, informou Ticehurst.

Outro ponto favorável, que tem melhorado a situação do país, é a ampliação e melhoria do acesso a serviços básicos públicos, em especial à saúde e à educação.

“Investir em serviços públicos gratuitos é algo essencial para diminuir a distância entre ricos e pobres. Nesse sentido, vale ressaltar que privatizar saúde e educação implica em dificuldades para a ascensão social das pessoas”, argumentou.

Apesar de ter melhorado, nos últimos anos, a distribuição de riquezas, o Brasil continua entre os países mais desiguais do mundo.

“Há ainda muito por fazer”, ressalta Ticehurst, lembrando que “se antes o desafio era universalizar, agora o desafio é dar qualidade a esses serviços”.
“Houve avanços no combate à pobreza e desigualdade, mas para continuar melhorando é necessário aprimorar as políticas sociais e os serviços básicos, principalmente em termos de qualidade. Além disso, é preciso rever a questão tributária e fiscal, de forma a mudar do atual sistema regressivo para um progressivo, no qual quem tem mais contribui mais e quem tem menos contribui menos”.

Em sua avaliação, a reforma política precisa entrar na agenda do país, na busca por uma representatividade mais próxima aos interesses dos brasileiros.

“É também necessário tocar as causas estruturais dessa desigualdade histórica, que afeta o país desde a época da colonização, feita por exploração e com extrema concentração de terras”.

Segundo ele, ao longo da história o Brasil valorizou demasiadamente “uma elite masculina e o patriarcado”, e a escravidão resultou em grandes diferenças econômicas e sociais, a partir da cor.

Disse ainda que “tudo precisa vir acompanhado de uma base mais sólida para o crescimento sustentável”

Semana do Meio Ambiente Força Jovem é aberta em Nova Cruz




A Semana do Meio Ambiente segue até a próxima sexta-feira (31) com exposições, oficinas, palestras e atividades culturais abertas para visitação pública.
A Prefeitura de Nova Cruz abriu na manhã de hoje (29) a I Semana do Meio Ambiente Força Jovem. O momento reuniu dezenas de estudantes que participaram de caminhada, blitz educativa e plantio de mudas nativas, que foi realizado nas adjacências do Ginásio Poliesportivo Giovanna de Azevedo Targino.
Durante a caminhada foram exibidos cartazes com avisos alertando para a necessidade da boa convivência com o meio ambiente. Vários motoristas foram abordados numa blitz educativa que aconteceu na Avenida Assis Chateaubriand. Os estudantes repassaram informações de práticas ambientais corretas e foram distribuídos adesivos do coletivo Força Jovem, folders instruindo sobre a preservação do planeta e garrafinhas com água mineral.
Os jovens do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Força Jovem também trabalharam no decorrer deste mês em vários projetos dentro da temática ambiental. Até a próxima sexta-feira (31), os trabalhos estarão expostos na sede do coletivo Força Jovem, situada no bairro Cidade do Sol. Hoje mesmo alunos da Escola Modelo e das escolas municipais Nestor Marinho, Francisco Pereira Matos e Cemei conheceram a exposição e outras unidades educacionais da cidade já estão com visitas agendadas.
De acordo com a secretária de Assistência Social de Nova Cruz, Márcia Valéria de Morais, além das atividades artísticas produzidas pelo grupo Força Jovem, haverá uma programação com palestras e oficinas de reciclagem. “O mais importante é a participação ativa dos jovens, que são os protagonistas do evento e estão totalmente integrados, produzindo em conjunto todas as ações que estão sendo desenvolvidas na Semana”, destacou.
Durante o evento haverá ainda palestras acerca dos recursos hídricos e resíduos sólidos, oficinas, sarau com pianista, encenação de peça teatral,
apresentação de dança e música, além da exposição fotográfica “Olhares Sobre o Agreste”. A ação envolve os adolescentes dos coletivos Juriti, Cidade do Sol, Lagoa de Serra, Conceição, Primeira Lagoa e Serrote dos Bezerras.
A I Semana de Meio Ambiente Força Jovem será encerrada no IFRN Campus de Nova Cruz com apresentações culturais e exposição. Confira a programação completa AQUI.

Direitos da Pessoa com Deficiência é tema de mobilização social

O objetivo é discutir a problemática da discriminação e gerar ações que ampliem a informação e a inclusão social do cidadão com deficiência.
A II Mobilização em Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência vai acontecer na próxima quarta-feira (05), às 14 horas, no Ginásio Poliesportivo "Geovanna de Azevedo Targino", em Nova Cruz. A iniciativa organizada pela Secretaria Municipal de Assistência Social foi traçada com o objetivo de discutir a problemática da discriminação, buscando acrescentar conhecimento e firmar parcerias que desenvolvam métodos de inclusão social para esse grupo.
No momento, o presidente da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais do RN (Apae), Willian Ferreira, vai ministrar uma palestra destacando o tema dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Haverá apresentações de dança, música e teatro desenvolvidas pelas pessoas atendidas pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Mestres da Vida, Força Jovem e Semear.
Um coral composto por usuários da Apae vai levar ao público o cântico denominado Hino da Pessoa com Deficiência. Já a equipe do Sesc Ler estará participando do evento com apresentações culturais. A Secretaria de Educação de Nova Cruz vai se fazer presente com o projeto Tenda do Saber, onde serão veiculadas  contações de histórias e expostos livros educativos.
Paralelo à programação, a Secretaria de Assistência Social vai deixar uma equipe com profissionais para levar informações sobre os serviços realizados pelo Cras e Creas e pelos programas Bolsa Família e Acessuas Trabalho.
Confira programação completa do evento AQUI.

Câmara dos Deputados apoia “Novembro azul” de prevenção ao câncer de próstata

Pelo segundo ano consecutivo, o prédio do Congresso Nacional será iluminado de azul, ao longo de todo o mês de novembro, a fim de chamar a atenção dos homens para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata.
A iluminação especial será inaugurada na segunda-feira, dia 3 de novembro, por volta das 19 horas, horário para o qual está previsto o fim da sessão solene em homenagem aos 26 anos do Dia Nacional de Combate ao Câncer – Saúde do Homem.
Fonte: Robson Pires

Robinson Faria acompanhará pessoalmente equipe de transição

Está aguardado o anúncio da equipe de transição de Robinson Faria (PSD), mas uma coisa é tida como certa: o futuro governador vai integrar o grupo. Ele não quer saber dessa história de esperar pelos relatórios. Quer acompanhar cada reunião.

Fonte: Robson Pires

Que agora venha a justiça. Veja mentiu sobre declaração de doleiro: a acusação que “eles sabiam de tudo” nunca foi feita

Do Muda Mais
"Uma reportagem da revista Veja publicada às vésperas da eleição, trazendo fortes acusações à presidenta Dilma e ao ex-presidente Lula, quase mudou o resultado do pleito. Segundo a matéria, o doleiro Alberto Youssef teria dito, em depoimeto à Polícia Federal e ao Ministério Público, que Lula e Dilma “sabiam de tudo” sobre o caso de corrupção na Petrobras. A fala era, inclusive, a capa da publicação.

Passadas as eleições, que tiveram um resultado apertado com Dilma reeleita, a verdade aparece: tal acusação nunca foi feita. Isso mesmo:Youssef nunca proferiu tal frase . A informação vem do advogado do doleiro, Antônio Figureido Basto, que garante que, no suposto dia da acusação, “não houve depoimento no âmbito da delação. Isso é mentira. Desafio qualquer um a provar que houve oitiva da delação premiada na quarta-feira”. Para Basto, houve má-fé – seja da revista ou da fonte utilizada na reportagem: “Ou a fonte da matéria mentiu ou isso é má-fé mesmo”, sentencia.

O TSE já obrigou Veja a publicar direito de resposta do PT e, em pleno domingo de votação, o site da revista mostrava em sua capa a resposta petista, que revelava a verdade. A credibilidade da publicação, já em baixa, chegava ao fundo do poço. O STF pode ainda obrigar Veja a dar à resposta a mesma publicidade que foi dada à reportagem mentirosa: ou seja, a revista impressa teria que circular com capa e páginas internas com a fala do PT, escancarando a parcialidade do periódico.

Longe de ser jornalismo, mais que mentira: Veja cometeu um crime, quase alterando o resultado de uma eleição democrática e subjugando a vontade soberana do povo às suas farsas e interesses. A verdade veio à tona; que agora venha a justiça.

NOVA CRUZ - RN: MEMBROS DO NUCA REUNIRAM-SE COM O ARTICULADOR DO SELO UNICEF 2013/2016

 Membros prontos para a mobilização rumo ao encontro de adolescentes
Aline; Ariely; Rhayssa; Talita e Gabriel Toge

Nesta última quinta-feira (30) a tarde membros do NUCA - Núcleo de Desenvolvimento e Participação d@s Adolescentes reuniram-se na sede das entidades: AMES; ANE/RN; CPC DA ANE/RN e  CPC/RN com o Articulador do Selo Unicef , Eduardo Vasconcelos com objetivo de discutir as formas de mobilização e inscrições dos jovens que irão participar do Encontro dos Adolescentes do NUCA, que ocorrerá dia 15 de novembro na Escola Municipal Antonio Peixoto Mariano,  Após discussão os presentes decidiram que o encontro terá a participação de 80  jovens, entre crianças e adolescentes, além de 20 técnicos das secretarias de Assistência Social; Educação e Saúde.

O evento tem como pauta discussões de temas como educação, cultura, saúde, lazer, ECA, Estatuto da Juventude, Grêmios Estudantis, Voto aso !6 anos "Antes Cedo do que Tarde", Campanhas Contra a AIDS, Trabalho Infantil, Homofobia, Racismo e Campanha na Defesa do Meio Ambiente, como também apresentações culturais com a participação dos próprios adolescentes.

O articulador do Selo Unicef, Eduardo Vasconcelos aproveitou para convidar os membros do NUCA a participarem da próxima reunião da Comissão Intersetorial do Selo Unicef 2013/2016, que ocorrerá dia 03 de novembro, ás 8h no Auditório da Secretaria Municipal de Educação - SME (antigo Cartório Eleitoral) - Fórum Djalma Aranha Marinho.

No final da reunião ficou decidido que o NUCA irá já no inicio da próxima semana os mesmos irão as escolas divulgar o evento e fazer as inscrições dos participantes.  Eduardo informou ainda que no domingo (2) estará na Assembleia de Deus convidando a Juventude Evangélica para participaram do Encontros de Adolescentes e que irá solicitar junto as secretarias 30 camisas para os membros do NUCA, assim encerrou-se a reunião.

Participaram da reunião: Thalita Lisboa; Ariely Rocha; Aline Rocha; Gabriel Toge; Rhayssa Silva e Eduardo Vasconcelos.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

DILMA REELEITA PELA FORÇA E A ALMA DA MILITÂNCIA!


Só uma Constituinte convocada por Plebiscito pode fazer uma verdadeira Reforma Política
A reeleição da Presidenta Dilma no 2º turno, garantida pela mobilização popular em todo o país, é uma derrota da reação pró-imperialista alinhada com Aécio do PSDB, que desencadeou uma ofensiva brutal, utilizou todos os meios – inclusive o golpe de mídia da revista Veja às vésperas do pleito – mas não foi capaz de impor o seu candidato!
A reeleição de Dilma se encadeia com a vitória de Evo Morales na Bolívia e o resultado do 1º turno no Uruguai, com Tabaré na liderança, apoiados em setores organizados do povo trabalhador. Aqui, foi uma renhida e difícil vitória da militância do PT e dos setores populares,apesar da “política de alianças” com gente como o PMDB, que se dividiu ao meio para apoiar Aécio, como confessou Eduardo Cunha (PMDB- RJ), candidato a presidente da Câmara, logo após a vitória de Dilma.
Uma vitória eleitoral arrancada nas ruas com grande participação da juventude, mas não apaga o fato de que o Congresso eleito em cinco de outubro é o mais reacionário desde o fim da ditadura militar, como tampouco, apaga o fato de que a bancada federal e as estaduais do PT reduziram-se, com derrotas em bastiões tradicionais (ABC), o que é um duro golpe no partido que deve agora reorientar-se para reatar com a sua base militante e abrir um caminho para as mudanças de fundo que a nação exige e que seguem pendentes!
Justamente por isso, foi importante que Dilma no seu discurso de vitória, ontem, tenha afirmado que a “primeira reforma a ser feita é a reforma política”, propondo “consulta popular através de plebiscito”.
Sim, é por aí que se pode avançar, pois com “esse Congresso não dá” e tampouco deve ser o Supremo Tribunal Federal quem vai “ditar” uma reforma política para a nação.
O impacto dos quase oito milhões de votos no Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana sobre o Sistema Político, resultado recebido por Dilma em 13 de outubro num ato político em Brasília, faltando duas semanas para o 2º turno, com o qual a candidata dialogou, não pode ser menosprezado.
Que “entendimento” é possível com os golpistas do PSDB que, em conluio com a revista Veja e a Globo, pediam em nota às vésperas do 2º turno “a extinção do PT”? Quando esses cínicos falam em “união” é para paralisar e envolver o PT com exigências de mais desonerações fiscais para grandes empresas, mais juros e superávit primário, enquanto preparam o bote, pois não vão entregar seus privilégios.
A vitória eleitoral arrancada com muito esforço e garra não deve encobrir que a situação não é fácil. Num mundo afundado na crise do capitalismo, em que o desemprego atinge mais de 200 milhões e a previsão da OIT é que aumente, no Brasil nada está decidido. Sim, pois apesar das conquistas obtidas com luta nos governos Lula e Dilma a indústria demitiu 240 mil operários até setembro, a desigualdade social ainda é enorme e os bilhões dados aos especuladores pelo superávit primário faltam nos serviços públicos.
Aqueles trabalhadores e jovens que garantiram a reeleição da candidata do PT, superando todo o tipo de obstáculos, inclusive daqueles que se recusaram a entrar na trincheira de classe e defenderam equivocadamente a “neutralidade” do voto nulo, branco ou abstenção, devem seguir mobilizados em todo o país.
Mobilizados para assegurar o respeito à vontade da maioria expressa nas urnas. Mobilizados para cobrar, com toda a autoridade, as reivindicações da maioria explorada e oprimida de nosso povo. Mobilizados para que se torne realidade um Plebiscito oficial pelaConstituinte para a reforma política com uma assembleia unicameral (sem senado), proporcional (um eleitor = um voto), sem financiamento de empresas e com voto em lista, o que sabemos depende de pressão popular sobre o Congresso.
Este é o único meio de avançar e destravar as reformas de fundo, como a desmilitarização das polícias, a reforma agrária, a reestatização das empresas privatizadas, o fim do superávit fiscal primário, entre outras. (27/10/2014)
*Corrente O Trabalho do PT - http://otrabalho.org.br/ 
(Edição e grifos deste blog)

UNE LAMENTA ANULAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL

A União Nacional dos Estudantes expõe em nota sua contrariedade à anulação da iniciativa que tinha como objetivo aumenta a participação da sociedade na política no nosso país. Leia na íntegra:
POLÍTICA NACIONAL DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL
Nessa terça-feira (29/10) foi barrado na Câmara dos deputados o decreto n° 8243/14 que visa implementar política nacional de participação social. A PNPS é um instrumento que visa aprofundar a participação popular com o objetivo de amadurecer a nossa democracia a partir de conselhos com a sociedade civil organizada.
Lamentamos a decisão, de viés conservador, da Câmara dos Deputados que barrou o decreto. O Brasil vive um momento especial de sua democracia com a consolidação de suas instituições. É necessário avançar para nos desvencilhar de vícios autoritários que ainda persistem. Nesse sentido, ampliar a participação popular, como pilar fundamental da nossa cidadania, é estratégico na consolidação do Estado Democrático de Direito, bem como na reforma política que se faz tão necessária hoje.
União Nacional dos Estudantes - UNE

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

CÂMARA DERRUBA DECRETO DOS CONSELHOS POPULARES

Deputados derrubaram a proposta de criação do Sistema Nacional de Participação Social (SNPS).

Deputados aprovam projeto de decreto legislativo de Mendonça Filho; esta é a 1ª derrota de Dilma após reeleição.


O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (28) a derrubada do decreto presidencial que criou o Sistema Nacional de Participação Social (SNPS). O decreto regulamenta instâncias que já existem, como os diversos conselhos e conferências; e cria instâncias novas. 
O plenário aprovou um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) do líder do Democratas, deputado Mendonça Filho (PE), que anula os efeitos do decreto presidencial. A discussão em torno do projeto começou por volta das 19h desta terça (28), e foi obstruída pelas bancadas do PT, do PCdoB e do PSOL. Setores do PROS também são contra a derrubada. A matéria segue para o senado.

Ao todo, seis requerimentos apresentados pelo governo para evitar a votação do projeto foram rejeitados pelo plenário. Além dos partidos de oposição, partidos da base do governo também trabalharam para derrubar o decreto presidencial. É o caso do PMDB, do PP, e do PR, entre outros. O PDL apresentado por Mendonça Filho foi apresentado em julho deste ano, e já esteve na pauta do plenário diversas vezes desde então. Se aprovado na Câmara, o PDL ainda terá de ir ao Senado. 

“Decreto Bolivariano”

Além de regulamentar o funcionamento de instâncias já existentes, o decreto cria instâncias como um Conselho Permanente de participação; comissões temáticas para discussão de temas específicos e uma ouvidoria pública federal. Ainda de acordo com o texto, os integrantes dessas instâncias serão nomeados pelo Secretário-Geral da Presidência da República, cargo atualmente ocupado pelo petista Gilberto Carvalho. 

Segundo oposicionistas, esse aspecto do projeto abre margem para o aparelhamento do Estado. Parlamentares da base também argumentam que o decreto usurpa prerrogativas do Congresso. Por conta disso, o decreto foi apelidado de “decreto bolivariano” pelos congressistas
Fonte: Nominuto.com
" Um absurdo, deputados que se dizem democratas, bota abaixo Decreto que reconhece a participação popular, vamos esperar que o Senado Federal desaprove a Câmara o a Presidenta, Dilma Rousseff derrube-o! Caso contráio o POVO irá tomar conta das ruas." - Eduardo Vasconcelos - radialista/blogueiro

terça-feira, 28 de outubro de 2014

FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS SEM VOCÊS AS REPARTIÇÕES NÃO EXISTIAM, PARABÉNS PELO SEU DIA!

No dia 28 de outubro comemora-se o dia do funcionário público. A data foi instituída no governo do presidente Getúlio Vargas, através da criação do Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937.

Em 1938 foi fundado o Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, onde esse tipo de serviço passou a ser mais utilizado.
As leis que regem os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos estão no decreto nº 1.713, de 28 de outubro de 1939, motivo pelo qual é o dia da comemoração desse profissional.

Em 11 de dezembro de 1990, foi publicado o novo Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, a Lei nº8112, alterando várias disposições da antiga lei, porém os direitos e deveres desses servidores estão definidos e estabelecidos na Constituição Federal do Brasil, além dos estatutos das entidades em que trabalham.

Os serviços públicos estão divididos em classes hierárquicas, de acordo com os órgãos dos governos, que podem ser municipais, estaduais ou federais. Os serviços prestados podem ser de várias áreas de atuação, como da justiça, saúde, segurança, etc.
Para ser servidor público é preciso participar de concursos e ser aprovado no mesmo, garantindo assim a vaga enquanto profissional. O bom desse tipo de trabalho é que o servidor tem estabilidade, não pode ser dispensado de suas funções. Somente em casos extremos, em que se comprove a falta de idoneidade de um funcionário público, é que o mesmo é afastado de seu cargo.

Os salários dos funcionários públicos são pagos pelos cofres públicos, dependendo da localidade. Se for municipal, são pagos pelas prefeituras; se estadual, pelos governos estaduais; e se federal, pagos pelos cofres da União.

Os servidores públicos devem ser prestativos e educados, pois trabalham para atender a população civil de uma localidade. É comum vermos pessoas reclamarem dos serviços públicos, da falta de recursos dos mesmos, falta de profissionais para prestar os devidos atendimentos ou até mesmo por estes serem mal educados e ríspidos com a população. É bom enfatizar que esses profissionais lidam com o que é público, ou seja, aquilo que é de todas as pessoas. Portanto, ganham para prestar serviços a toda comunidade.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

NOVA CRUZ - RN: PREFEITO CID ARRUDA, TORNA-SE COM A VITÓRIA DE ROBINSON O MAIOR LÍDER DA REGIÃO DO AGRESTE POTIGUAR!












 Robinson Faria deu mais energia com a sua passagem ontem em Nova Cruz















 A vitória de Robinson Faria na Região do Agreste Potiguar e em especial Nova Cruz, cidade polo coloca o prefeito de Nova Cruz, CID ARRUDA CÂMARA como o maior líder político da região.

A votação expressiva tanto no 1º turno como agora no 2º turno demostrou isso.  Além do mais CID tem livre acesso a Robinson Faria, amigos de longa data!  Mas quem ganha mesmo é o Rio Grande do Norte!  Cid terá agora o Estado e o Governo Federal com a força da senadora eleita, Fátima Bezerra articular recursos, projetos e emendas para NOVA CRUZ, claro que teremos que dá um tempo, já que os eleitos, Dilma e Robinson terão pelo menos um ano para por ordem na casa.

A vinda de Robinson Faria ontem a Nova Cruz demostrou o prestígio que o prefeito CID ARRUDA tem e serviu para dá uma mais energia na eleição.

Mas com certeza a cidade de Nova Cruz será beneficiada e voltará ao crescimento merecido.

Que as bençãos do nosso senhor caiam sobre ambos os eleitos para que os mesmos olhem com carinho o nosso povo nordestino, tão discriminado por candidatos sulistas e em ESPECIAL nossa região e a nossa cidade de Nova Cruz. E o nosso respeito aos adversários que em um futuro bem próximo estarão elogiando as ações benéficas que virão para Nova Cruz.

Hoje é o dia do Lula. Feliz aniversário guerreiro - Reeleita, Dilma clama por paz, união e mudanças


Hoje é o aniversário do nosso querido amigo e eterno Presidente Lula. O presente, todos nós, unidos, demos ontem, a vitória da presidenta Dilma. Hoje, todos nós, os amigos do Lula, queremos dar  parabéns. Esperamos que Lula tenha um dia super feliz, com tudo o que tem direito, muita festa e um monte de emoção. Feliz aniversário!Descanse muito dessa batalha que foi a campanha eleitoral...  E até 2018!
0 Comentários

Do Blog Os Amigos do Presidente Lula

Reeleita, Dilma clama por paz, união e mudanças

:
Dilma

"Agradeço, do fundo do mundo do meu coração, ao militante número 1 das causas do povo brasileiro: o presidente Lula", disse a presidente Dilma Rousseff, em seu discurso da vitória; com as urnas apuradas, ela teve 51,6% dos votos, contra 48,4% de Aécio Neves; "Não acredito que essas eleições tenham dividido o Brasil ao meio. Entendo que elas mobilizaram emoções contraditórias, mas movidas por um sentimento comum: a busca de um futuro melhor"; depois de clamar por paz e união, ela afirmou ainda que resultados apertados nas urnas podem promover mudanças mais rápidas e mais profundas; "sei do poder que cada presidente tem de liderar as grandes causas populares. E eu o farei", disse Dilma, num discurso histórico, de arrepiar, em que ela colocou como prioridade de seu segundo mandato a reforma política
247 - Aos gritos de olê, olê, olá, Dilma foi recebida por militante do PT em São Paulo. Seu primeiro agradecimento foi ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em seguida, ao vice Michel Temer e a sua esposa Marcela. Depois, vieram os presidentes dos partidos que a apoiam, começando por Rui Falcão, do PT.
Eis trechos de sua fala:
"Chegamos ao final de uma disputa que mobilizou todas as forças dessa Nação. Tenho palavras de agradecimento e conclamação. Agradeço a meu vice e aos partidos que sustentaram nossa aliança. Agradeço a cada um e a cada uma dos integrantes dessa militância combativa, que foi a alma e a força dessa vitória. E agradeço a todos os brasileiros e brasileiras. 
Agradeço, do fundo do mundo do meu coração, ao militante número 1 das causas do povo brasileiro: o presidente Lula. Conclamo a todos os brasileiros e brasileiras a nos unirmos. Não acredito que essas eleições tenham dividido o Brasil ao meio. Entendo que elas mobilizaram emoções contraditórias, mas movidas por um sentimento comum: a busca de um futuro melhor.
Em lugar de ampliar divergências, creio que é hora de construção de pontes. O calor liberado no fragor da disputa pode ser transformado em energia construtiva de um novo momento no Brasil. Em alguns momentos da história, resultados apertados produziram mudanças mais rápidas e mais amplas. Essa é minha esperança. Aliás, é minha certeza. Esta presidenta aqui está disposta ao diálogo e este é meu primeiro compromisso neste segundo mandato. Toda eleição é uma forma de mudança. Principalmente para nós, que vivemos numa das maiores democracias do mundo.
Quero ser uma presidenta muito melhor do que fui até agora. Quero ser uma pessoa ainda melhor do que tenho me esforçado por ser. A palavra mais dita foi mudança. O tema mais amplamente invocado foi reforma. Estou sendo reconduzida à presidência para realizar as grandes mudanças que a sociedade brasileira exige. Estou pronta a responder a essa convocação. Sei do poder que cada presidente tem de liderar as grandes causas populares. E eu o farei."
Em seguida, Dilma defendeu o plebiscito pela reforma política. "Quero discutir esse tema profundamente com o novo Congresso Nacional e com toda a sociedade brasileira".
Com as urnas apuradas, a presidente Dilma Rousseff teve 51,6% e Aécio Neves 48,4%. Ela venceu no Norte, no Nordeste, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro e perdeu em São Paulo.
O resultado é muito semelhante ao da pesquisa Datafolha, que apontou vitória de Dilma por 52% a 48%.
Com a vitória, o Partido dos Trabalhadores, que foi criado em 1980, terá um ciclo de 16 anos no poder.
Abaixo, reportagem da Agência Brasil:
Luana Lourenço e Sabrina Craide – Repórteres da Agência Brasil
Com 97,62% das urnas apuradas, a atual presidenta da República, Dilma Rousseff (PT), tem 51,38% dos votos válidos e está matematicamente reeleita para o cargo. O candidato Aécio Neves (PSDB) tem 48,62% dos votos válidos até o momento.
Mineira de Belo Horizonte, Dilma Rousseff, tem 66 anos, é economista formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), tem uma filha e um neto. Foi reeleita hoje (26), junto com o vice-presidente Michel Temer (PMDB), com o apoio da coligação formada por PT, PMDB, PDT, PCdoB, PR, PP, PRB, PROS e PSD. No primeiro turno, Dilma ficou em primeiro lugar, com 43.267.668 votos (41,59% dos votos válidos).
Filha de um imigrante búlgaro e de uma professora do interior do Rio de Janeiro, Dilma viveu em Belo Horizonte, capital mineira, até 1970, onde integrou organizações de esquerda, como o Comando de Libertação Nacional (Colina) e a Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares). Foi presa em 1970 pela ditadura militar e passou quase três anos no Presídio Tiradentes, na capital paulista, onde foi torturada.

Em 1973, mudou-se para Porto Alegre, onde construiu sua carreira política. Na capital gaúcha, Dilma dedicou-se à campanha pela anistia, no fim do regime militar, e ajudou a fundar o PDT no estado. Em 1986, assumiu seu primeiro cargo político, o comando da Secretaria da Fazenda de Porto Alegre, convidada pelo então prefeito Alceu Collares.

Com a redemocratização, Dilma participou da campanha de Leonel Brizola à Presidência da República em 1989. No segundo turno, apoiou o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em 1993, Dilma assumiu a Secretaria de Energia, Minas e Comunicação do Rio Grande do Sul, cargo que ocupou nos governos de Alceu Collares (PDT) e Olívio Dutra (PT).

Em 2000, Dilma filiou-se ao PT e, em 2002, foi convidada a compor a equipe de transição entre os governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva. Quando Lula assumiu, em janeiro de 2003, Dilma foi nomeada ministra de Minas e Energia, onde comandou a reformulação do marco regulatório do setor. Em 2005, ainda no primeiro governo Lula, Dilma assumiu a chefia da Casa Civil, responsável até então por projetos como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Minha Casa, Minha Vida.

Dilma deixou a Casa Civil em abril de 2010 e, em junho do mesmo ano, teve sua candidatura à Presidência da República oficializada. Venceu sua primeira eleição no segundo turno, contra o candidato do PSDB, José Serra, com mais de 56 milhões de votos.

Em um governo de continuidade, Dilma manteve e ampliou programas sociais da gestão Lula e implantou iniciativas que levaram à redução da pobreza, da fome e da desigualdade. Criou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e ampliou programas de empreendedorismo. Também implantou um programa de concessões para obras de infraestrutura e logística, muitas ligadas à realização da Copa do Mundo. Em um governo marcado por episódios de corrupção, Dilma chegou a demitir seis ministros em dez meses, em 2011. A presidenta reeleita também enfrentou problemas com a economia, com queda no ritmo do crescimento do país e avanço da inflação.
Leia, ainda, reportagem da Reuters:

SÃO PAULO (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff (PT) foi reeleita neste domingo em uma disputa marcada por reviravoltas e que teve o resultado mais apertado desde a redemocratização, indicando os desafios que ela terá para unir um Brasil que se mostrou dividido nas urnas.

A vitória de Dilma, primeira mulher na Presidência da República, veio principalmente com votos obtidos no Norte e Nordeste, regiões mais pobres do país e onde programas sociais como o Bolsa Família têm ajudado a melhorar a vida de dezenas de milhões de pessoas.

A petista, que garantiu ao seu partido o quarto mandato consecutivo no governo central, terá grandes desafios pela frente, como retomar o crescimento econômico, controlar mais efetivamente a inflação e reconquistar a confiança de empresários e investidores.

Seu governo precisará também dar respostas à sociedade sobre a suposta corrupção na Petrobras e que teria o envolvimento de partidos e políticos da base aliada do governo, que veio à tona durante a campanha e virou tema de embate, porém sem força para mudar de forma significativa o voto de eleitores.
Após 98 por cento da apuração, Dilma tinha 51,45 por cento dos votos válidos, contra 48,55 por cento de Aécio, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Restando 1,87 por cento dos votos a serem apurados, é impossível matematicamente para o tucano alcançar a petista.

Dilma tinha 53,3 milhões de votos e Aécio aparecia com 50,3 milhões. Ainda faltavam 2,7 milhões de votos a serem apurados.
A última parcial do TSE apontava para um resultado final agora mais estreito em termos percentuais do que foi a vitória de Fernando Collor de Mello (PRN) contra o petista Luiz Inácio Lula da Silva em 1989, quando o primeiro foi eleito com 53,03 por cento dos votos válidos.

A eleição deste ano foi marcada pela imprevisibilidade, com Dilma tendo visto sua chance de reeleição ameaçada por dois candidatos diferentes ao longo da campanha, primeiro por Marina Silva (PSB), terceira colocada na votação de 5 de outubro, e depois por Aécio.

A trágica morte do presidenciável Eduardo Campos (PSB) em um acidente aéreo em 13 de agosto alçou sua vice na chapa ao topo da corrida presidencial. Marina chegou a abrir 10 pontos de vantagem sobre Dilma em simulação de segundo turno. A ex-senadora e ambientalista, contudo, viu aos poucos suas intenções de voto cederem, em meio aos ataques de seus adversários.

Aécio teve uma votação no primeiro turno bastante acima do que apontavam as pesquisas e apareceu numericamente à frente de Dilma nos primeiros levantamentos do segundo turno, em empate dentro da margem de erro. Mas logo a presidente voltou a aparecer na frente, o que persistiu até a véspera da votação deste domingo.

Além de viradas dramáticas, a disputa deste ano ficará marcada pelos incansáveis ataques entre os principais candidatos e pela crescente radicalização na polarização PT x PSDB, que domina a corrida presidencial há 20 anos.
(Por Cesar Bianconi e Gustavo Bonato)