SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!

SOU FORTE, SOU GUERREIRO, SOU BRASILEIRO!
Enquanto Houver Razões Eu Não Vou Desistir

sábado, 29 de junho de 2013

FICHA LIMPA NO SERVIÇO PÚBLICO, ROYALTIES PARA EDUCAÇÃO E PASSE LIVRE NA PAUTA DO PLENÁRIO

O Plenário do Senado prossegue, na próxima semana, com as votações que integram a pauta prioritária estabelecida para atender às mobilizações populares das últimas semanas. A destinação de royalties do petróleo para as áreas de saúde e educação, o passe livre estudantil em todo o país e a exigência de ficha limpa para preenchimento de cargos comissionados são algumas das matérias prontas para a apreciação em Plenário.
Na última quarta-feira (26), o Senado aprovou a nova partilha do Fundo de Participação dos Estados (FPE), enviada para sanção presidencial, e a transformação da corrupção e do homicídio simples em crimes hediondos, proposta que ainda passará por exame na Câmara.
O primeiro item da pauta da próxima terça (2) é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2012, que estende a exigência de ficha limpa também aos servidores públicos comissionados. De autoria do senador Pedro Taques (PDT-MT), a proposta proíbe pessoas em situação de inelegibilidade, nos termos da Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/2010), de assumirem cargo em comissão ou função de confiança na administração pública.
Com a medida, condenados pela Justiça em segunda instância, e até profissionais cassados por conselhos profissionais, poderão ser impedidos de assumir cargos de confiança nos Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.
Também na pauta de terça-feira, está o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 41/2013, que destina para a educação e a saúde a participação no resultado ou compensação financeira pela exploração de petróleo e gás natural no país. A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada na forma de um substitutivo do deputado André Figueiredo (PDT-CE). O texto original, de autoria do Executivo, destinava 100% dos royalties à educação pública, com prioridade para a educação básica. Os deputados alteraram a medida distribuindo 75% dos recursos para educação e 25% para a saúde.
O projeto prevê o uso de recursos dos royalties e da participação especial dos contratos, inclusive dos já existentes, desde que os poços tenham entrado em operação comercial após 3 de dezembro de 2012. A expectativa dos parlamentares é de que a medida aumente os recursos à disposição da educação e da saúde de R$ 25,8 bilhões para R$ 335,8 bilhões ao longo de dez anos (2013 a 2022).
Passe livre
Para a sessão de quarta-feira (3) o primeiro item da pauta é o Projeto de Lei do Senado (PLS) 248/2013, do presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), que institui o programa Passe Livre Estudantil em âmbito nacional. A matéria ganhou regime de urgência na última quinta.
O projeto assegura a gratuidade no sistema de transporte público coletivo local, para os estudantes do ensino fundamental, médio ou superior, que estejam regularmente matriculados e com frequência comprovada em instituição pública ou privada de ensino. Os recursos necessários para financiar o benefício virão dos royalties do pré-sal - da parte destinada à educação pública.
Renan explicou que o projeto, apresentado em resposta às recentes manifestações populares, surgiu da constatação de que o transporte público é precário, ineficiente e caro, dificultando a situação principalmente dos estudantes, que não contam com renda própria.
Garçons e advogados
Fora da agenda especial, duas outras matérias tramitando em regime de urgência constam da pauta da próxima semana: o projeto que obriga o repasse de gorjetas aos garçons (PLC 57/2010) e o que inclui a atividade de advocacia no regime simplificado de tributação conhecido como Simples Nacional (PLS 105/2011).
Pelo texto do PLC 57/2010, bares, restaurantes, hotéis, motéis e estabelecimentos similares que incluírem taxa de serviço ou adicional nas contas de seus clientes passam a ficar expressamente obrigados a repassá-los a seus empregados. O texto também determina a incidência de Imposto de Renda e contribuição previdenciária sobre as gorjetas.
O projeto estabelece ainda multa para o empregador que não transferir os valores dentro dos prazos fixados. A empresa deverá lançar a gorjeta na nota fiscal e reter 20% do valor para cobrir encargos sociais e previdenciários dos empregados. O que sobrar deverá ser repassado aos trabalhadores.
Já o PLS 105/2011, do senador Cyro Miranda (PSDB-GO), altera a Lei Complementar 123/2006para incluir os serviços advocatícios prestados por micro e pequenas sociedades de advogados entre aqueles que podem optar pelo regime de tributação do Simples.
MP da Seca
Os projetos da pauta devem ser votados enquanto não é lida no Senado a Medida Provisória (MP) 611/2013, que concede crédito extraordinário de R$ 3,53 bilhões aos ministérios do Desenvolvimento Agrário, da Defesa e da Integração Nacional para atender populações atingidas pela seca. A MP foi aprovada na terça-feira (25) pela Câmara dos Deputados e deve ser lida pela Mesa do Senado nos próximos dias.
A proposta deve chegar a Plenário já trancando a pauta de votações. Na Câmara, para aprovar a matéria, os deputados retiraram do texto o trecho que destinava R$ 43 milhões ao Ministério das Comunicações para contratação de serviços de tecnologia da informação e telecomunicações, como transmissão de vídeo e transporte de dados durante a Copa das Confederações 2013 e a Copa do Mundo 2014.
O fornecimento dessa infraestrutura foi compromisso assumido pelo Brasil ao se candidatar a receber os torneios, mas a maioria dos parlamentares preferiu acatar as críticas da população, apresentadas durante as manifestações contra os gastos da Copa promovidas ao longo deste mês.
Fonte: Agência Senado

PREFEITO DE INTERIOR DO RN FAZ DESABAFO EM SEMINÁRIO DO TCE/RN

CB: RESPOSTA DE DILMA PARA RESULTADO DE PESQUISA É TRABALHAR MAIS, DIZ MINISTRO

De acordo com o Datafolha, o governo alcançou 30% de aprovação - soma de ótimo e bom - o patamar mais baixo de avaliação desde o início do mandato

Publicação: 29/06/2013 15:55 Atualização: 29/06/2013 16:16

Segundo ministro, Dilma considera que remédio é dialogar com a sociedade (Carlos Moura/CB/D.A Press)
Segundo ministro, Dilma considera que remédio é dialogar com a sociedade
O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que o resultado da pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (29/6), apontando queda de popularidade do governo após a onda de protestos no país, foi recebido com "tranquilidade". Segundo ele, a presidenta Dilma Rousseff considera que o "remédio" é dialogar com a sociedade e seguir trabalhando para dar respostas às reivindicações apresentadas pela população.

De acordo com o Datafolha, o governo alcançou 30% de aprovação - soma de ótimo e bom - o patamar mais baixo de avaliação desde o início do mandato. Na pesquisa anterior do mesmo instituto, divulgada em 10 de junho, o governo Dilma Rousseff alcançou 57%. Os números divulgados hoje indicam queda de 27% em três semanas, período que coincide com o ápice dos protestos.

"A presidenta está muito tranquila. Ela reconhece que tem uma mudança e acha que a receita, o remédio para isso é trabalharmos bastante. Já estamos trabalhando para entender mais pontos relativos às mobilizações populares e dar resposta, dar solução quando tiver, ou dizer que não tem solução, quando não tem. É uma avaliação de tranquilidade, mas de continuar trabalhando", disse Bernardo, após se reunir com a presidenta Dilma Rousseff no Palácio da Alvorada.

Leia mais notícias em Política


Questionado se o governo tem confiança em reverter o quadro refletido pela pesquisa, Paulo Bernardo respondeu que apenas o povo pode mudar esse resultado, e o governo irá trabalhar para isso. "Quem vai reverter ou não a pesquisa é o povo, a pesquisa reflete um momento e precisamos reconhecer quando há problemas, e precisamos trabalhar mais duramente, dialogando com a sociedade, e isso pode ajudar a reverter a pesquisa. É uma avaliação de tranquilidade, mas de continuar trabalhando".

O ministro avaliou que as manifestações que tomaram conta das ruas, nos últimos dias, devem ter afetado a aprovação de todos os governos, não apenas do federal. "Até porque, todos sabem que as manifestações não foram feitas contra o governo federal, foram feitas por uma pauta de reivindicações contra alguns pontos que os manifestantes consideram importante", disse.

Paulo Bernardo também informou que o governo pretende conversar com mais representantes de movimentos sociais na próxima semana. A finalidade é continuar a debater as reivindicações defendidas nos protestos que ocorrem em todo o país.

Fonte: Correio Braziliense

MANIFESTAÇÕES, GOVERNO, PLEBISCITO E O TIRO PELA CULATRA DA DIREITA

Com o fortalecimento do debate e a proposta do plebiscito, a direita vai ter de recuar, no que concerne ao referendo, que ela, de forma hipócrita, propôs ao governo e à sociedade

Davis Sena Filho, Brasil 247

“As manifestações de junho movimentaram o tabuleiro político do Brasil e a rotina de vida dos brasileiros. Os protestos foram compostos em sua maioria por grupos de classe média, a exemplo de profissionais autônomos, pequenos e médios empresários, grupos políticos conservadores, bem como os de extrema direita e principalmente por estudantes, a grande maioria, filhos da classe média, além de segmentos partidários da extrema esquerda, que fazem oposição ao Governo do PT, da presidenta Dilma Rousseff e como sempre não enxergam o que está em jogo a um palmo à frente de seus narizes.

As manifestações deixaram claro que a classe média e também a população brasileira em geral quer mais do que já conquistou nesses últimos onze anos de governos trabalhistas, que, sem sombra dúvida, colocaram o Brasil em patamares de influência política e econômica jamais experimentados em nossa história em termos internacionais, bem como permitiu que o País americano fosse mais ouvido nos fóruns internacionais, a eleger, em 2011, o agrônomo José Graziano para diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), além de eleger este ano o diplomata Roberto Azevêdo para o cargo de diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), um dos órgãos internacionais mais influentes e poderosos do mundo.

Os dois dirigentes internacionais se elegeram no período dos governos trabalhistas de Lula e Dilma, receberam apoio incondicional dos mandatários ao tempo em que a imprensa alienígena e inimiga dos interesses do Brasil minimizava essas importantes conquistas políticas e diplomáticas, além de escalar comentaristas, colunistas e blogueiros para desmerecer a importância dessas vitórias ao ponto de certos jornalistas desqualificarem, inclusive, pessoalmente os dois mandatários brasileiros que conquistaram os postos mais importantes da FAO e da OMC. Ponto.”

Artigo Completo, ::AQUI::

sexta-feira, 28 de junho de 2013

LULA CONVOCA MOVIMENTOS SOCIAIS PARA IR ÀS RUAS PELO BRASIL

Ex-presidente e um dos principais atores políticos do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva assume o seu papel de liderança nos movimentos sociais que tomaram as ruas do país, em uma série de manifestações que chega à sua segunda semana. De sua base, na sede do Instituto Lula, o principal aliado da presidenta Dilma na elaboração de uma agenda política para a realização de um plebiscito, intensifica os encontros com os movimentos sociais.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu, nesta capital, os integrantes dos movimentos sociais.

No mais recente encontro, na véspera, com jovens de grupos como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a União da Juventude Socialista (UJS), o Levante Popular da Juventude e o Conselho Nacional da Juventude (Conjuve), Lula ofereceu o diapasão para afinar o discurso dos movimentos sociais.

Em lugar da esperada mensagem de conciliação e o pedido de calma aos manifestantes, o momento é de “ir para a rua”, afirmou o ex-presidente. A reunião, no bairro do Ipiranga, em São Paulo não contou com a presença do Movimento Passe Livre (MPL), nem do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

"O (ex-)presidente queria entender essa onda de protestos e avaliou muito positivamente o que está acontecendo nas ruas", disse a jornalistas André Toranski, presidente da UJS, que conta majoritariamente com militantes do PCdoB.

Outro participante do encontro, que preferiu o anonimato, afirma que Lula “colocou que é hora de trabalhador e juventude irem para a rua para aprofundar as mudanças. Enfrentar a direita e empurrar o governo para a esquerda. Ele agiu muito mais como um líder de massa do que como governo. Não usou essas palavras, mas disse algo com ‘se a direita quer luta de massas, vamos fazer lutas de massas”.

Em nota publicada em seu perfil na rede social Facebook, na última quinta-feira, Lula já se mostrava favorável às manifestações ocorridas desde o último dia 13 em várias cidades do Brasil: “Ninguém em sã consciência pode ser contra manifestações da sociedade civil, porque a democracia não é um pacto de silêncio, mas sim a sociedade em movimentação em busca de novas conquistas”, declarou.

Em São Paulo, Lula apoiou a negociação entre o governo e os manifestantes, que reclamavam do aumento no preço da passagem de ônibus. Na ocasião, o ex-presidente demonstrou confiança no trabalho do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, ministro da Educação durante seu governo.

"Estou seguro, se bem conheço o prefeito Fernando Haddad, que ele é um homem de negociação. Tenho certeza que dentre os manifestantes, a maioria tem disposição de ajudar a construir uma solução para o transporte urbano", afirmou. Apenas alguns dias depois, Haddad revogou o aumento de R$ 0,20 no preço da passagem.

Plebiscito

De sua parte, a presidenta Dilma também seguiu os conselhos do amigo e antecessor no cargo e vem promovendo, desde o início desta semana, uma série de encontros com os movimentos sociais. Na véspera, Dilma recebeu os representantes de oito centrais sindicais e dedicou 40 minutos da reunião para explicar aos dirigentes como serão norteadas as ações para os cinco pactos anunciados pelo governo – com vistas à melhoria dos serviços públicos – e destacou a importância de ser convocado um plebiscito no país para discussão da reforma política. Embora a presidenta não tenha sido explícita no apelo às centrais, a sua fala na abertura do encontro foi vista pela maior parte dos presentes como uma forma de pedir o apoio das entidades para as medidas divulgadas nos últimos dias.

A presidenta admitiu que é preciso aprimorar a interlocução com as centrais e disse concordar com as críticas das ruas sobre a qualidade dos serviços públicos. Afirmou, ainda, que a pressão das mobilizações está correta e ajuda na transformação do país. Participaram do encontro representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) e Força Sindical, bem como Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), CSP-Conlutas e Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), além de técnicos do Dieese.

Os sindicalistas apresentaram os principais itens definidos na pauta traçada nos últimos dias com solicitações ao governo, tais como melhorias na qualidade do transporte público e redução das tarifas, mais investimentos na educação e na saúde, retirada de tramitação, no Congresso, do Projeto de Lei 4.330 – referente à regulamentação das atividades de terceirização, fim do fator previdenciário e aumento dos valores das aposentadorias, reforma agrária e redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais. Dilma deixou claro que essa pauta será negociada como um todo e que o governo apresentará uma resposta até agosto.

Das ruas às urnas

Para Luiz Carlos Antero, jornalista e escritor, colunista e membro da Equipe de Pautas Especiais do sítio Vermelho.org, o plebiscito pela reforma política é uma das propostas que “podem surtir um maior impacto”. Em um debate mais amplo, segundo o analista, “pode contribuir para uma maior participação popular e para aprofundar a democracia no Brasil, destacando-se em especial aspectos como o do financiamento público de campanhas”.

“Entretanto, ainda mais que compreender o que se passa no Brasil no atual momento, é indispensável e urgente o esforço da apresentação de um afirmativo e unitário programa popular e democrático enquanto fio condutor das lutas de rua — para as quais qualquer pauta institucional e toda pausa na movimentação terá um sentido provisório e cumulativo, distante do improvável êxito do pensamento ou desejo de uma nova acomodação”, afirma.

Fonte: Correio do Brasil
ONI PRESIDENTE

POLÍCIA FEDERAL PRENDE DEPUTADO NATAN DONADON

O ainda parlamentar Natan Donadon, após um longo processo no STF, e com o fim dos recursos a que teve direito de apresentar, que lhe asseguraram o amplo direito de defesa, se entregou à Polícia Federal em Brasília, visto que havia um MANDADO de Prisão expedido. Cumprirá pena em regime fechado e o estabelecimento penal onde isso ocorrerá ainda não foi divulgado. Muitos falam em excesso de recursos, que são meramente protelatórios. Se a LEI é RUIM, MODIFIQUE-SE A LEI, mas, enquanto ela estiver em vigor, CUMPRA-SE, igualmente para todos. 


PF confirma prisão de Natan Donadon

Ivan Richard - Agência Brasil

Brasília - O deputado Natan Donadon (PMDB-RO) já foi preso pela Polícia Federal, em Brasília. O parlamentar se apresentou ao superintendente do órgão, Marcelo Mosele, em uma parada de ônibus, na área sul da capital federal. Acompanhado do advogado Nabor Bulhões, ele queria evitar o registro da prisão pela imprensa. Neste momento, segundo a assessoria da PF, são feitos os procedimentos legais para efetivar a prisão do parlamentar.

O deputado foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por peculato e formação de quadrilha. Ontem (27), o PMDB de Rondônia comunicou a expulsão do deputado Natan Donadon condenado a 13 anos, quatro meses e dez dias de prisão por desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia, quando era diretor financeiro da instituição. O deputado estadual Marcos Donadon, irmão de Natan, também foi expulso do partido por ter sido condenado pela Justiça.

Além disso, servidores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara tentaram hoje, mais uma vez, notificar o deputado sobre o processo de cassação de seu mandato aberto na comissão. Marcada para as 10h, essa foi a quarta tentativa, sem sucesso, de localizar Donadon.


Edição: Talita Cavalcante

Fonte: 007BONDDeblog

LULA: "SÃO FANTASIOSAS AS INFORMAÇÕES PUBLICADAS NESTA-FEIRA PELA FOLHA"

São fantasiosas, sem qualquer base real, as opiniões que me foram atribuídas pela Folha de S.Paulo, em matéria publicada hoje na página 4 do jornal. Não fiz qualquer crítica nem em público, nem em privado à atuação da presidenta Dilma Rousseff nos recentes episódios. Ao contrário, minha convicção é de que a companheira Dilma vem liderando o governo e o país com grande competência e firmeza, ouvindo a voz das ruas, construindo soluções e abrindo caminhos para que o Brasil avance, nossa democracia se fortaleça e o processo de inclusão social se consolide.

Em particular, a presidenta mostrou extraordinária sensibilidade ao propor a convocação de um plebiscito sobre a reforma política. A iniciativa tem o mérito de romper o impasse nessa questão decisiva, que há décadas vem entrando e saindo da agenda nacional, sem lograr mudanças significativas. Ouvindo o povo, nosso sistema político poderá se renovar e aperfeiçoar. É o que se espera dele.
Luiz Inácio Lula da Silva

terça-feira, 25 de junho de 2013

REFORMA POLÍTICA NAS MÃOS DO POVO

Emir Sader, Carta Maior / Blog do Emir

“Na campanha eleitoral de 2010, o Lula e a Dilma chegaram a falar da convocação de uma Assembleia Constituinte Exclusiva, para uma reforma política no país. Eles tinham consciência que um Parlamento eleito pelofinanciamento privado não daria um tiro no pé, abolindo esse mecanismo e promovendo o financiamento público.

Passadas as eleições, confiaram que conseguiriam aprová-la mediante negociações com os partidos, mas houve resistência do PMDB, especialmente no tema do financiamento público das campanhas eleitorais – no máximo, aceitariam para os cargos executivos, sem conceder seu lugar privilegiado de negociações nos parlamentos.


Diante do fracasso iminente da reforma e da situação de falta de representatividade partidária nas mobilizações das duas últimas semanas, Dilma deu um passo audaz: propor um plebiscito para uma Constituinte exclusiva para a reforma política.

As mobilizações das últimas semanas confirmaram para a Dilma a necessidade de uma renovação do sistema político. Os que se mobilizaram não se reconheciam em nenhum partido político. Nem aquele que tradicionalmente participava e liderava essas mobilizações – o PT – desta vez foi poupado da falta de confiança. 

O plebiscito permitirá uma eleição sui generis – por ser uma Assembleia Constituinte exclusiva –, que poderá eleger uma bancada renovada de parlamentares. E abrirá caminho para remover os obstáculos postos por uma estrutura partidária que favorece o troca-troca de favores, mediante partidos de aluguel, que abundam atualmente.

No mais importante dos temas, abre caminho para o financiamento público, impedindo que o poder do dinheiro continue a ser determinante na composição de um parlamento controlado por lobbies de interesses privados.

A Dilma retoma a iniciativa política, atende a demandas populares e coloca as bases para uma renovação do sistema político brasileiro.”

XI CONGRESSO DA AMES-NOVA CRUZ/RN ELEGE DIRETORIA 2013/2015

Abertura do XI CONAMES - NOVA CRUZ/RN


 Momento de discussão e propostas

Lucas e Bebeto um show a  parte
 Lucas, eleito vice presidente e Ricardo presidente





 Grupo de HIP HOP "NÔMADES"






No último domingo, 23 a AMES - Associação Municipal de Estudantes Secundaristas - Nova Cruz/RN realizou seu 11º CONGRESSO na Escola Municipal NESTOR MARINHO - Nova Cruz/RN, onde durante todo o dia discutiram Conjuntura Nacional, Educação, Movimento Estudantil, Grêmio Livre, Cultura, Apresentação Cultural e elegeu sua nova diretoria, tendo a frente os estudantes, Ricardo e Lucas, presidente e vice presidente.

Pastor Jr., Bebeto e Gracylle da Comissão da USE - União Santacruzense dos Estudantes vieram prestigiar o XI CONGRESSO, que deram excelentes contribuição para a dinâmica do congresso.

Uma das propostas aprovada no congresso foi ampliar a Comissão em Defesa dos Campus da UERN e UFRN e as lutas pelo 10% do PIB - Produto Interno Bruto para a Educação e os 100% do petróleo brasileiro para também serem investidos na educação.

Houve apresentação do Grupo de HIP HOP do Pró Jovem de Nova cruz, além é claro de um forró pé de serra. A dupla Lucas e Bebeto deram um show a parte.

Ricardo agradeceu ao congressistas pela confiança depositada e que junto com as outras entidades, ANE/RN, CPC/RN, CPC DA ANE/RN, UBES e UNE ir batalhar na defesa da educação, cultura e pelos direitos dos estudantes brasileiros.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

À TV, DILMA, E PARA AVANÇAR, NÃO RECUAR!


Nestes dez anos de Lula e Dilma no poder, sempre estivemos obstaculizados pela necessidade de avançar sem criar traumas nas áreas conservadoras e pela necessidade de ampliar as bases político-partidárias de sustentação do Governo.

Para avançar o que avançamos, tivemos de abrir mão de muito e, com isso, também deixamos menos clara parte de nossa identidade perante as parcelas mais jovens do povo brasileiro.

Desde a “Carta aos Brasileiros”, em 2002, com que Lula procurou abrandar as resistências do poder econômico – quem se recorda do que chamavam de “efeito Lula, ameaçando disparar inflação e câmbio, como forma de assustar a população? – até agora, tivemos sempre que refrear os nossos ímpetos pelas mudanças sonhadas para o Brasil para, assim, podermos fazer parte delas.

Porque as grandes reformas estão por serem feitas há 50 anos – de novo, à memória: o que no Governo Jango eram chamadas as “Reformas de Base” – por estarem sempre detidas por um pacto conservador entre os políticos, a mídia e o poder econômico.

Sabemos que, à revelia da multidão de jovens que ocupa as ruas, as forças deste pacto conservador se servem do movimento para, pela mídia , pela demagogia e pela provocação, para tentar desestabilizar o governo eleito do país, democrático e progressista. E, diante disso, muitos de nós ficam paralisados e perplexos, sem saber como reagir.

Talvez, por se deixarem afastar do povo, tenham perdido a sensibilidade e não consigam entrever, na dificuldade, as enormes possibilidades que se abre.

O Governo Dilma, em lugar de estar fragilizado pelas ruas cheias, pode fazer dessa energia  - tanto do que ela contém de generosa quando de legitimação que dela fez a mídia, claro que com razões oportunistas – a imensa força para avançar no que até agora era impossível.
O povo está nas ruas exigindo mudanças, não está?

Não são apenas os R$ 0,20 da passagem, cansam de dizer, mas querendo escolas e serviços de saúde “padrão Fifa, não é?

Pois então, que o nosso Governo não acorre a isso que é também o seu desejo e, em rede nacional e diante do povo brasileiro, propõe as mudanças que permitam isso?

É concreto, é objetivo e corresponde a tudo o que desejamos e que, pelas conjunturas políticas e parlamentares, até agora não foi possível fazer.

Porque não, indo ao encontro das ruas, definir que os royalties do petróleo – todos – se destinem à educação, como o Governo Federal já se dispôs, através de projeto de lei, a fazer com a sua parcela? Afinal, não queremos escolas padrão Fifa e professores tão valorizados como jogadores de futebol?

Porque não garantir a destinação de 10% do PIB para a a Saúde, eliminando as isençõesfiscais dadas a partir de um certo nível de gastos, exceto para doenças gravíssimas, mas retirando dali cirurgias plásticas embelezadoras, taxando as grandes fortunas e estabelecendo impostos sobre heranças vultosas e sobre os gigantescos lucros do sistema bancário?

E esta lista segue pela reforma agrária, pela tributação do capital especulativo e pela contribuição econômica que devem todos aqueles que se nutrem de concessões públicas, como empresários de ônibus e de emissoras de rádio e TV. Aliás, eles não apenas precisam pagar pelo que ganham, como precisam ser obrigados a práticas eficientes, transparentes e que assegurem a todos o direito de ir, vir e de falar e ser ouvido.

Dilma, vá à TV.

Inspire-se na sabedoria popular e faça do limão uma limonada.

O pacto conservador quer derrubar a democracia e a justiça social?

Pois contra-ataquemos como o que temos de melhor e mais generoso: nossos compromissos e sonhos de democracia e justiça social.

Não haverá outra hora como essa. Não haverá uma chance igual, construída por nossos próprios adversários.

Saraiva 13
Nada de passos atrás, porque recuando jamais escaparemos da armadilha.
Avancemos e façamos das ruas o que elas são: nosso lugar, nossa força, nossas armas para mudar o Brasil!

Por: Fernando Brito

quarta-feira, 19 de junho de 2013

MEMBROS DA COMISSÃO EM DEFESA DOS CAMPUS DA UERN E UFRN PARTICIPA DA ASSEMBLEIA CIDADÃ EM SANTO ANTONIO/RN

 Momento em que Eduardo Vasconcelos voltou a solicitar o empenho dos Deputados Ricardo Mota e Márcia Maia na solicitação da audiência com a Governadora, Rosalba Ciarlini.
 Prefeito CID ARRUDA e Drª Valéria Arruda Câmara presentes a Assembleia Cidadã
 Eduardo Vasconcelos, Jackson, ?, Deputado Gilson Moura e Ricardo
 Prefeito, CID ARRUDA e o Deputado GILSON MOURA
 Deputado Gilson Moura conversando com o Prefeito Cid Arruda ao olhar de Drª Valéria Arruda Câmara
 Capitão Luiz Carlos do 8º BPM e Padre Adelson
 Secretário de Estado, ESDRAS ora representando a Governadora, ROSALBA CIARLINI
 Presenças dos Vereadores, Fernando Bezerra, (Nova Cruz) João da Praça, Heriberto (Lagoa Danta), Ex Vereador Ricardo Melo (Nova Cruz) e Vereador Gelson Vitor (Nova Cruz).
 Vice Prefeito de Passa e Fica Everaldo Bezerra e o jornalista Ionaldo
 Abertura da Assembleia Cidadã em Santo Antonio-RN
 Ricardo e Jackson ao lado do Prefeito de Pedro, Tio Zé
Deputado Ricardo Mota abrindo os trabalhos da sessão

Hoje pela manhã membros da Comissão em Defesa dos Campus da UERN e UFRN participaram da Assembleia Cidadã, promovido pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte com o proposito de levar ao conhecimento dos senhores deputados e com a esperança de manter contato com a Governadora Rosalba Ciarlini, o não aconteceu, pois a governadora não compareceu, mas a comissão não se abateu, muito  pelos contrário, aproveitou e manteve contatos com parlamentares, entre eles Ricardo Mota, Presidente da Assembleia, Deputada Márcia Maia e Gilson Moura, esse último se comprometeu a enviar requerimento com o proposito de reforçar as reivindicações da comissão que é o de transformar o Núcleo da UERN em Campus!

Já o Deputado Ricardo Mota e Márcia Maia juntos se comprometeram de solicitar urgente uma audiência com a governadora para tratar do assunto juntamente com o Reitor Eleito, Pedro Fernandes.  Um ponto positivo foi de que os 3 deputados registraram a presença da comissão.

O prefeito CID ARRUDA de Nova Cruz estava acompanhado de sua esposa, Drª Valéria Arruda Câmara, secretária de educação, ambos com certeza reforçaram as reivindicações dos membros da comissão, principalmente na hora que conversaram com o Deputado Gilson Moura.

Os membros da comissão que foram a Santo Antonio foram, Eduardo Vasconcelos, coordenador geral da comissão, Ricardo e Jackson.

A luta pela UERN está apenas começando.

Deputada Márcia Maia anuncia campus da UFRN para o Agreste

A deputada Márcia Maia (PSB) aproveitou a instalação da Assembleia Legislativa no município de Santo Antônio, nesta quarta-feira (19), para anunciar a instalação de um campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte na Região Agreste com cursos presenciais, conforme planejamento apresentado pela reitora Ângela Paiva em audiência com os parlamentares. “O Agreste é a única região do Estado que não tem campus nem da UFRN nem da UERN. É uma reivindicação justa”, apoiou a deputada.
 
A deputada estadual participou do “II Debate em Defesa dos Campi da UERN e da UFRN”, no auditório do Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN), em Nova Cruz (RN) no mês de abril. O encontro foi organizado pela Comissão em Defesa dos Campi da UERN e da UFRN e pelo Centro Popular de Cultura (CPC).
 
Atualmente, pouco mais de 200 estudantes são beneficiados pela Universidade Estadual. Em relação à instituição federal, sequer existe um Campus na região Agreste e os cursos disponíveis são todos à distância. “A região que não conta com a estrutura de Campus de qualquer das universidades públicas em funcionamento do nosso estado. Apoiamos o pedido e vamos lutar para garantir que a região Agreste possa ter condições de oferecer formação adequada em nível superior e produção científica”, justificou a deputada.
Recursos Hídricos
 
A deputada Márcia Maia apresentou requerimento solicitando a governadora Rosalba Ciarlini e o secretário de recursos hídricos, Leonardo Rêgo, melhorias na oferta de água para o município de Nova Cruz com a ampliação do sistema adutor da região. “Recebi a sugestão do prefeito Cid Arruda e apresento o requerimento para melhorar a oferta de água na região”, disse.

DAMIÃO GOMES - STTR/NOVA CRUZ/RN É ELEITO VICE PRESIDENTE DA CTB-RN E PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA EM PROL DA UFRN PARA NOVA CRUZ/RN

Deputada Fátima Bezerra na Abertura da Audiência Pública em prol do Campus da UFRN, realizada na última segunda-feira, 17 no Plenário da Câmara Municipal de Nova Cruz/RN elogiou as lutas do Presidente do STTR-NOVA CRUZ/RN, DAMIÃO GOMES pelas constantes lutas e conquistas, e uma dessas conquistas foi a sua eleição para vice presidente da CTB/RN, ocorrida neste último final de semana em Natal.  Damião Gomes participou da Audiência Pública representando os trabalhadores e trabalhadoras rurais de Nova Cruz e aproveitou para agradecer a Deputado Fátima Bezerra dizendo que a sua luta sempre foi e será em prol do homem do campo, finalizou.

3º CONGRESSO ESTADUAL DA CTB-RN:
A CTB Rio Grande do Norte promoveu na última sexta-feira e sábado (14 e 15) seu 3º Congresso Estadual, que reelegeu Moacir Soares, presidente da entidade.


No primeiro dia do evento, realizado no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN), centro de Natal, trabalhadores de várias categorias participaram dos debates sobre as teses que serão apresentadas no 3º Congresso Nacional, que ocorrerá nos dias 22 a 24 de agosto, em São Paulo.

ctb rn congresso2
Moacir Soares presidindo a Abertura do III CONGRESSO ESTADUAL DA CTB/RN

ctb rn congresso3
Vários Lideres Sindicais participaram do congresso, inclusive DAMIÃO GOMES - STTR/RN

No segundo dia, os dirigentes prestaram uma homenagem à Federaçao dos Trabalhadores em Agricultura do Estado (Fetarn), que comemora 50 anos. “Oferecemos uma Comenda à Fetarn pelo importante papel que ela desempenha para os trabalhadores do campo, no processo de redemocratização do país”, destacou Moacir Soares.

Mereceu destaque também a filiação do Sindicato dos Médicos do RN, que de acordo com Moacir Soares, contribui para o processo de diálogo da CTB estadual com o setor da saúde.

ctb rn congresso4
José Ferreira recebendo em nome da FETARN homenagem feita pela CTB/RN

ctb rn congresso7
José Ferreira - FETARN, emocionado agradece a justa homenagem

Ao final do congresso, além de aprovar as resoluções que serão encaminhadas pela delegação potiguar ao Congresso Nacional, os delegados e delegadas elegeram a nova diretoria da Central. “O Congresso foi muito positivo diante da participação significativa de vários segmentos e categorias. Agora vamos continuar com o trabalho de consolidação no estado eque vai se dar a partir do envolvimento dessa nova direção no processo. Serão prioridades na nossa agendas temas como a valorização do trabalho, a formação sindical,  e um planejamento para que a CTB fortaleça sua atuação na região”, afirmou o presidente reeleito.

Diante das alterações estatutárias aprovadas na plenária final, a direção estadual passou a contar com três vice-presidências ocupadas por Damião da Silva do Sindcato dos Trabalhadores em Agricultura de Nova Cruz; Maria dos Navegantes, do Sindicato dos trabalhadores em Confecção; e Márcio Dias, do Sindipetro.

ctb rn congresso6
Divanilton Pereira referência nacional  fala aos congressistas

O Congresso foi acompanhado pelo dirigente nacional, Divanilton Pereira, que destacou a disposição de luta da nova gestão.  “Armados com sua delegação a CTB-RN se somará aoconjunto das demais estaduais para que, entre no dia 22 e 24 de agosto, façamos o maior congresso da história da CTB, e para que de lá saiam as principais resoluções que contribuirão para o sindicalismo brasileiro, nessa disputa convicta que a CTB tem de produzir para o país um novo projeto nacional de desenvolvimento com valorização do trabalho. Saíremos vitoriosos dessa batalha”.


Portal CTB com informações de Rogério Marques (fotos 1 e 2: Foque.com)

terça-feira, 18 de junho de 2013

DEPUTADA FÁTIMA BEZERRA E REITORA ÂNGELA PAIVA-UFRN DEBATE EXPANSÃO EM NOVA CRUZ/RN


A deputada federal Fátima Bezerra (PT) participou nesta segunda-feira (17), em Nova Cruz, de audiência pública que tratou da expansão do ensino superior no município. Evento foi realizado na Câmara Municipal e contou com expressiva mobilização envolvendo a participação de representantes da política local e estadual, professores, estudantes e demais atores da sociedade civil.

“Fico muito entusiasmada e gratificada quando participo de uma audiência tão bem mobilizada, participativa. Aqui foi um passo definitivo para a gente conseguir, no futuro, ter cursos presenciais de nível superior que correspondam o anseio de ter a presença forte da UFRN na região”, acredita a deputada Fátima Bezerra.

O prefeito de Nova Cruz, Cid Arruda considerou a audiência como de “extrema relevância” diante da falta de cursos presenciais no município. “Nova Cruz tem demanda grande de jovens que desejam ingressar no nível superior. Tenho certeza que vamos conseguir ter cursos presenciais em Nova Cruz. Quero, mais uma vez, agradecer o empenho da deputada Fátima que muito tem contribuído com toda essa revolução no ensino superior no RN. Hoje é, sem dúvida, o dia D para o retorno dos cursos presenciais em Nova Cruz”, comemorou o prefeito.

A reitora da UFRN, professora Ângela Paiva reafirmou todo empenho para a retomada do Campus de Nova Cruz.

Será criada uma comissão envolvendo diversos segmentos da sociedade cuja finalidade é elaborar um projeto com os cursos que a comissão identificar como prioridade para Nova Cruz. Relação deverá ser encaminhada à reitora Ângela em, no máximo, 15 dias. Coordenação é do professor Morais Filho.   

Audiência contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta; da deputada estadual Márcia Maia; do presidente da Câmara, vereador Thyago da Costa, demais vereadores de Nova Cruz e região, além do IFRN, SINTE e SINTEST.

domingo, 16 de junho de 2013

A UTOPIA VIOLENTADA O DIA EM QUE O PODER PERDEU

Os senhores governantes, que diziam que não voltariam atrás, terão que voltar atrás; terão que governar, daqui pra frente, para uma maioria e não mais para alguns poucos privilegiados que, definitivamente, não andam de trem, ônibus ou metrô superlotados
Lula Miranda, Brasil 247


“Desculpe-nos o transtorno, estamos mudando o Brasil”. Vi cartazes com essa frase-bandeira empunhados por mais de um militante do movimento de jovens insurrectos que incendiou São Paulo e ameaça agora despertar todo o país. A frase é muito bonita, sagaz e dá margem a várias possíveis leituras ou interpretações. Denota criatividade, sarcasmo, destemor – tão caros aos jovens. Mas, sobretudo, sinaliza, com insuspeita galhardia, uma obra que estaria sendo construída: a utopia.

 Poderia denotar também, sejamos honestos, uma mera pretensão e ingenuidade, também tão caras aos jovens. Ingenuidade pretensiosa ou utopia? Fico com a utopia.

E o que vem ser uma utopia? Uma civilização ideal; algo que se busca ad eternum? O fim da pobreza não é em si uma utopia? Já não ousamos dar pequenos, mas firmes passos, no Brasil rumo a essa meta elegendo governos comprometidos com bandeiras sociais, populares? Isso já não encerraria uma utopia? Pelo visto não. Não parece ser o bastante. Não parece ser essa a utopia ora pretendida. A juventude parece clamar a mesma poesia titânica que (en)cantava a minha geração:  “A gente não quer só comida/ a gente quer comida, diversão, balé./ A gente não quer só comida/ a gente quer a vida como a vida quer/ a gente quer saída para qualquer parte (...).


Eu também já fui jovem e também já tive a pretensão de mudar o mundo. Eu fracassei; a minha geração talvez tenha fracassado, bem como as anteriores a minha, com certeza. Mas isso não quer dizer que essa geração que aí está vá fracassar na semeadura de sua/nossa utopia. Talvez devamos pensar que cada geração dá a sua contribuição, passo a passo, semente após semente, para a transformação das coisas do mundo. Deixemos a desesperança para os caquéticos, para os fracassados, para os conservadores.”
Artigo Completo, ::AQUI::

Fonte: Saraiva 13